Ano Legislativo começa com previsão de “tempestade” na Assembleia

Os sinais que chegam ao Radar fazem crer que o Ano Legislativo que começa nesta terça-feira, 4 de janeiro, na Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam) tem previsão de “tempestade com raios e trovões”. Os servidores públicos confirmaram que pretendem estar nas dependências do Poder Legislativo para um ato público de protesto contra o que eles denominam de “pacote de maldades” que o Governo do Estado tem imposto ao funcionalismo.

“Vamos apresentar requerimento para que o Parlamento se digne a revogar as Leis que trouxeram incontáveis prejuízos aos servidores públicos e suas famílias”, disse por telefone ao Radar o coordenador financeiro do Sindicato dos Professores e Pedagogos de Manaus, Asprom Sindical, Lambert Melo.

Entre as “piores maldades” impostas pelo Governo em seu pacote da reforma administrativa aprovado no ano passado e que os servidores querem que sejam revistas pela Assembleia Legislativa, segundo Lambert Melo, estão o congelamento de salários por dois anos e o aumento da contribuição previdenciária.

Lambert citou, ainda, algo que está revoltando os funcionários públicos e que também foi aprovado na Assembleia Legislativa: a mudança no calendário de pagamento dos servidores. “O Governo virou empresa privada. Agora só nos paga no mês seguinte. Quer ver uma coisa? Ainda não recebemos o mês de janeiro”, reclama o sindicalista.

E ele diz que a “lista de maldades” não acabou com a reforma administrativa, apontando decreto já publicado pelo Governo reeditando medida usada durante gestão do ex-governador cassado, José Melo, o uso de cartão para pagamento do vale refeição.

Lambert diz que alguém vai ganhar com isso e que não é o servidor. “Nós vivemos essa experiência e ela é péssima, principalmente pros irmãos do interior. Vamos expor na Assembleia os prejuízos causados com o uso do cartão e mostrar que essa história está mal contada”, diz Lambert.

E, se os servidores estão dispostos a protestar, o presidente da Assembleia Legislativa do Estado (Aleam), deputado Josué Neto parece estar disposto a abrir as portas da Casa Legislativa para as queixas dos servidores, levando-se em conta uma de suas declarações dadas ao Radar: “A prioridade no início deste ano na Assembleia Legislativa do Estado é estar atento aos anseios da população. As áreas mais delicadas como a saúde e a segurança, assim como as garantias e condições de trabalho dos servidores públicos merecem especial atenção”.

Isso faz crer que a tempestade vai chegar lá pelas bandas do Governo!