Apesar da CPI apontar descaso e omissão do Governo Federal com o Amazonas, David Almeida elogia Bolsonaro e agradece por vacinas  

Prefeito David Almeida. Foto: reprodução

O prefeito de Manaus, David Almeida (Avante) parece não concordar com a CPI da Covid-19 do Senado Federal que apontou descaso do governo de Messias Bolsonaro diante do aumento de pessoas infectadas e mortes por Covid-19 no Amazonas, e a omissão durante a crise de oxigênio que matou dezenas de pessoas no Estado, além de ter chegado a conclusão que os amazonenses foram usados como cobaias para o uso de hidroxicloroquina, remédio para malária imposto pelo Governo Federal para uso em pacientes com Covid-19, mas que possui efeitos colaterais que podem matar. David Almeida fez elogios ao presidente Messias Bolsonaro e chegou até mesmo a agradecer pelas vacinas  que teriam sido usadas no mutirão de vacinação desse final de semana em Manaus.

Isso aconteceu durante Live do prefeito David Almeida e do governador do Amazonas, Wilson Lima (PSC), na manhã desta segunda-feira (14), realizada sob justificativa de divulgar o balanço da vacinação no fim de semana em Manaus. Em seu discurso, David Almeida nem lembrou que o Amazonas já ultrapassou mais de 13 mil mortos, mas fez questão de elogiar e agradecer o presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

“Os nossos agradecimentos ao governo Federal que adquiriu as vacinas para que a gente pudesse fazer essa imunização em massa”, disse o prefeito.

O ex-ministro Eduardo Pazuello – o mesmo que negligenciou o alerta de falta de oxigênio em Manaus- também ganhou elogios do prefeito.

“O Pazuello, quando ministro, destinou pra cidade de Manaus através do Ministério da Saúde, com a anuência do governo Federal, do presidente Bolsonaro, R$483 milhões de reais para nós fazermos a mudança que precisamos na saúde”, disse David Almeida. Levando-se em conta o que diz o prefeito, não faltou dinheiro, então o que faltou para que, de janeiro até agora, Manaus mais que duplicasse o número de mortos? –  no dia 27 de janeiro, Manaus tinha 5,190 mortos por Covid-19, segundo a FVS, e hoje tem mais de 13 mil.

Assim como o Radar contou em um dos vídeos da “Rapidinha com a Aninha“, o comportamento do prefeito David Almeida só vem a confirmar as notícias de ele teria selado acordo político com Bolsonaro para trocar benefícios à sua administração e por sua defesa pelos bolsonaristas na CPI pelo apoio ao “cumpadre” do presidente para o senado nas próximas eleições, o ex-superintendente da Suframa, coronel Menezes. Quem virou carta fora do baralho de David Almeida nessa união com Messias Bolsonaro foi o candidato à reeleição para o Senado no ano que vem, o presidente da CPI, senador Omar Aziz, de quem o prefeito era aliado.

A “venda” da desgraça como  oportunidade

Para completar o seu discurso, o prefeito afirmou que já conseguiu “transformar catástrofes em oportunidades” ao se referir à cheia história do Rio Negro deste ano que atingiu a cota de 30 metros.

  “Aquilo que seria uma desgraça, uma tragédia para os comerciantes do Centro de Manaus, nós colocamos passarelas que hoje são os pontos turísticos mais frequentados de Manaus, é fazer das adversidades, oportunidades”, disse o prefeito.