Apesar de ser tucano, Artur Neto não tem “pena” pra gastar com periquito, já que a preocupação é com as verdinhas

artur - tucan - dolar

Os leitores do Radar, através de mensagens no Whatsapp e de e-mails, não poupam críticas ao fato do prefeito Artur Neto não ter tomado providências e nem ter se manifestado publicamente garantindo que vão ser identificados e punidos os culpados pela morte de 200 periquitos. Os antenados leitores do Radar que não sofrem de perda de memória não esquecem do nosso “destemido” prefeito jiujiteiro com suas roupinhas feitas sob medida para cada ocasião – a preferida atualmente é de operário da Prefeitura – investigando queda de avião, rompimento de adutora da Manaus Ambiental – que nem precisava investigar porque é fácil ver que é incompetência mesmo, né gente? – e até fiscalizar uma tal de venda ilegal de leite do programa “Leite do Meu Filho” em mercadinho de periferia – que também nem precisava fiscalizar né gente porque  é só ver que a família vendeu o leite já que nem só o bebê estava com fome.

E lá aparecia o prefeito em tudo que é foto como paladino da Justiça lacrando mercadinho da periferia que comprou o tal do “Leite do  Meu Filho”. Mas, “lacrar” a Manaus Ambiental que explora o cidadão de Manaus cobrando taxa de esgoto onde nem existe esgoto, e até água onde só tem vento na torneira, isso ninguém tem coragem, né mesmo? Igualzinho no caso dos periquitos! Afinal, eles apareceram mortos não foi em frente de algum conjunto de periferia, mas sim em frente ao condomínio de luxo Ephigênio Sales. E cadê o prefeito pra posar para as fotos no local, fazendo suas caras e bocas de quem está indignado, mostrando os periquitos mortos e dizendo que vai enquadrar legalmente os endinheirados que preferem suas caríssimas palmeiras imperiais do que uns periquitos barulhentos e cagões?

E até torço pra gente estar errado e levar é uma esculhambação – e se tivermos errados eu juro que conto e pago esse mico, tá gente? – porque se vê muito estardalhaço na imprensa, mas nada de encontrar quem matou as aves, divulgar quem são os culpados e eles pagarem pelo que fizeram. E o prefeito de Manaus não parece estar muito preocupado com esse negócio de periquito morto. A preocupação maior parece ser com algo verde, mas que não tem nada a ver com ecologia ou meio-ambiente. O negócio é grana, as tais “verdinhas”, milhões delas que o prefeito insiste em cobrar da presidente Dilma Rousseff – e dessa vez com cara de bravo mesmo! – e o Governo Federal insiste em afirmar que já repassou até mais do que devia para a Prefeitura de Manaus, e que o prefeito Artur Neto também tem que dar sua contrapartida em investimento. E por essas verdinhas a briga tá de matar e, pelo humor do prefeito, bem pior do que ver centenas de periquitos mortos. (Any Margareth)