Após 17 mortes, Talibã aceita trégua com Afeganistão no fim do Ramadã

O grupo terrorista Talibã aceitou a proposta de trégua feita pelo presidente do Afeganistão, Ashraf Ghani, mas apenas por três dias, e não sete, como havia sugerido o chefe de Estado.

O cessar-fogo é motivado pelas celebrações do fim do Ramadã, mês sagrado para os muçulmanos e que em 2018 termina no dia 14 de junho. Por meio de um comunicado, o Talibã também aventou a possibilidade de libertar prisioneiros de guerra, desde que eles não voltem a combate.

É a primeira vez desde 2001, quando o regime fundamentalista foi derrubado pelos Estados Unidos, que o grupo aceita uma trégua pelo fim do Ramadã. “Essa medida foi decidida para permitir que nossos compatriotas participem das orações e outras festividades”, diz o comunicado do Talibã.

Por parte do governo, a trégua não diz respeito a “grupos terroristas internacionais”, como Estado Islâmico e Al Qaeda, enquanto o Talibã continuará suas operações contra “ocupantes estrangeiros”. Antes da trégua, a milícia matou 17 soldados afegãos em um ataque contra uma base militar na província de Herat.

Fonte: ANSA