Após aprovação de PL na Câmara Federal, HUGV vai ganhar reforço de 1,2 mil profissionais

O Hospital Universitário Getúlio Vargas vai ganhar reforço de 1.249 servidores, incluindo os Portadores de Necessidades Especiais (PNE). A convocação se tornou possível após uma aprovação na Câmara Federal o Projeto de Lei Complementar (PLP) no 266/2020, que permite a flexibilização no chamamento dos aprovados em concursos públicos organizados pela Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh), que presta Serviços Hospitalares junto aos Hospitais Universitários Federais.

O PLP foi aprovado por 421 votos a favor, incluindo o voto do deputado federal Zé Ricardo (PT/AM), que está apoiando a luta da categoria. No último dia 8, realizou reunião em Manaus com a comissão dos aprovados no concurso realizado pela empresa no ano de 2020, no Amazonas, com a participação do vice-presidente da Ebserh, Eduardo Chaves. Na ocasião, ele assumiu compromisso de dialogar com os demais parlamentares da bancada do Amazonas para garantir a aprovação desse Projeto, bem como a articulação, por meio da bancada do PT, que atualmente é a que possui mais deputados federais no Congresso. E essa proposta foi aprovada por unanimidade entre as bancadas de oposição na Câmara dos Deputados.

“A aprovação desse Projeto irá permitir o chamamento de concursados para o Hospital Getúlio Vargas, ampliando assim o quadro de profissionais permanentes para atender a população. Sabemos que um dos grandes gargalos dos hospitais é a falta de servidores concursados, dando margem para a ampliação das terceirizações, que só precarizam as condições de trabalho desses profissionais e comprometem o atendimento, já que convivem com baixos salários, atrasos e não pagamento de benefícios”, declarou Zé Ricardo, agradecendo todo o empenho da bancada petista e de oposição, que lutou pela aprovação desse Projeto, e afirmando que os maiores beneficiados serão a população e a saúde do Amazonas.

O PLP 266/2020 já tinha sido aprovado no Senado Federal em dezembro de 2020 e tramitava em caráter de urgência na Câmara dos Deputados. Aprovado agora, segue para a sanção do presidente da República.

(*) Com informações da assessoria