Após ataque à ZFM, presidente da CMM pede direito de resposta a jornal paulista

Após matéria veiculada pelo jornal Folha de São Paulo, onde acionista do grupo Natura, afirma que “a Zona Franca de Manaus não aprendeu a andar e precisa de muletas e, que, sem incentivos fiscais o modelo está fadado ao fracasso”, o presidente da Câmara Municipal de Manaus, vereador Wilker Barreto (PHS), assegurou que vai solicitar direito de resposta. A afirmação foi feita nessa segunda-feira (27), no parlamento municipal.

Durante seu discurso, Wilker Barreto questionou a conduta imparcial adotada pelo jornal paulista que abre espaço para os críticos do modelo ZFM, mas não assegura o direito do contraditório, aos economistas que defendem o modelo econômico implantado no Amazonas, porque entendem seu papel estratégico para o desenvolvimento e preservação do meio ambiente da região amazônica.

“O que temos hoje, é uma guerra declarada contra a Zona Franca de Manaus. Já falei e vou repetir, o ciclo das chuvas do Sudeste depende diretamente da preservação ambiental proporcionada por este modelo. Se nós mudarmos o modelo econômico do Amazonas para extrativista, o Sudeste não vai aguentar quando vierem as piores crises hídricas, ou seja, São Paulo vai virar um grande”, desabafou Barreto.

O presidente lembrou, também, que a ZFM não responde sozinha pelas renúncias fiscais do governo brasileiro, que hoje ultrapassa os 325 bilhões de reais. “A Zona Franca representa 7% de tudo o que o Brasil abre mão de receita. Se formos fazer uma avaliação das renúncias fiscais feitas pelo governo federal, o menor dos problemas é o nosso modelo econômico, que traz o desenvolvimento e, ao mesmo tempo, combate a devastação da Amazônia. Contra fatos não há argumentos. Temos 95% da nossa floresta preservada graças a ZFM”, completou.

Wilker Barreto disse não entender a motivação dos constantes ataques à ZFM, mas conclamou à classe política a não se calar e aproveitar o momento para se posicionar em defesa do modelo, esclarecendo para o país o papel estratégico que ele tem para o desenvolvimento e garantia de cidadania aos brasileiros que vivem na Amazônia.

O parlamentar defendeu, ainda, o aprimoramento e modernização da ZFM com foco no modelo de implantação da indústria 4.0. “Sou defensor de que a Zona Franca se tornou o melhor modelo ambiental do mundo. Nós precisamos de uma linguagem moderna, de upgrade para a Zona Franca. Precisamos focar nela com base na indústria de 4.0”, enfatizou Wilker.

Com informações do Departamento de Comunicação da CMM.