Após bancar “Peladão” com R$ 1,6 milhão, Governo dá mais de R$ 749 mil para Copa de Dominó de A Crítica

Enquanto dispensa anestesistas nos hospitais e diminui os plantões médicos, o Governo Amazonino Mendes, através da Secretaria de Estado da Juventude, Esporte e Lazer (Sejel) vai bancar a Copa de Dominó de A Crítica com mais de R$ 749 mil dos cofres públicos. A dispensa de licitação foi publicada no Diário Oficial do Estado (DOE) do dia 25 desse mês e está assinada pelo secretário executivo da Sejel, Elcy Monteiro Barroso Junior.

É no mínimo curiosa a consideração que é feita pela Sejel sobre o gasto de mais de meio milhão para patrocinar a copa de dominó da Rede Calderaro de Comunicação. A secretaria de esporte de Amazonino diz que “a proposta apresentada pela empresa (A Crítica) é compatível com os preços praticados pela Sejel” – quem é que recebe esses valores de patrocínio, hein gente?

A Sejel também justifica o investimento “considerando que a Empresa de Jornais Calderaro Limitada é detentora exclusiva da Copa A Crítica de Dominó 2018” – ver publicação no final da matéria.

E os investimentos com dinheiro público do Governo de Amazonino Mendes em eventos promovidos por A Crítica não são de agora. Em dezembro do ano passado, o governador Amazonino Mendes, mesmo com todo choro de crise e falta de dinheiro, usou R$ 1,6 milhão dos cofres do Estado, dinheiro do nosso bolso, pra bancar o Peladão.

Ou seja, nesse jogo de Amazonino e A Crítica, o povo fica “pelado”, sem um centavo no bolso e ainda leva um capote do Negão.