Após David Almeida classificar pagode como “crime”, Prefeitura suspende autorizações de eventos

A medida é prevista no  Decreto nº 5.232

Foto: reprodução

As autorizações e licenças para a realização de eventos em Manaus estão suspensas temporariamente após a publicação do  Decreto nº 5.232 ,  da Prefeitura de Manaus nessa quarta-feira (19). Conforme o texto, exceto os eventos esportivos com cobrança de ingresso ao público, que terão uma regulamentação específica.

O decreto também tornou sem efeito as licenças e autorizações emitidas antes da publicação deste documento. As medidas, conforme o subsecretário da Semef, poderão ser reavaliadas, a qualquer momento, de acordo com a situação epidemiológica do Município.

“Crime é ir pra pagode”

A medida foi realizada  depois do prefeito David Almeida (Avante) ser questionado sobre a aglomeração de pessoas na fila do novo Centro de Testagem inaugurado nessa quarta-feira (19). Na ocasião, o Radar Amazônico questionou David Almeida sobre a falta de testes para Covid-19 nas UBSs.

Durante entrevista, o prefeito de Manaus fugiu da pergunta, ignorou a aglomeração de pessoas no local de testagem, localizado no Centro de Convenções Vascos Vasques, e jogou a responsabilidade para os eventos que acontecem na capital amazonense.

“Crime é ficar na fila em mesa de bar, crime é ir para o pagode […] estamos vivendo um momento adverso e se faz necessário o que está acontecendo. Erros acontecem, problemas acontecem”, disse o prefeito.

(*) Informações da assessoria