Após denunciar irregularidades na gestão de Mário Abrahim, vereador de Itacoatiara tem mandato cassado

Parlamentar é acusado de quebra de decoro parlamentar por suposto acúmulo de cargos públicos

Foto: Divulgação

O vereador Robson Siqueira (PV) de Itacoatiara (a 175 quilômetros de distância da capital amazonense) teve seu mandato cassado na noite dessa terça-feira (21) após votação tumultuada na Câmara Municipal de Itacoatiara (CMI).

O parlamentar que também é médico, foi acusado de quebra de decoro parlamentar por supostamente acumular cargos de médico na Prefeitura de Silves e de sargento na Polícia Militar do Amazonas.

No início do mês, o juiz da 2ª. Vara da Comarca de Itacoatiara, Gonçalo Brandão de Souza, determinou, em decisão liminar, a suspensão dos trabalhos da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da CMI, instalada para cassar o mandato do vereador Robson. Na ocasião, o juiz entendeu que a comissão não ofereceu amplo direito de defesa ao acusado.

O parlamentar é conhecido na cidade por denunciar diversas irregularidades na gestão de Mário Abrahim, prefeito de Itacoatiara. Em agosto deste ano, o vereador apresentou uma denúncia contra o gestor da cidade, por conta de um decreto que permitia a contratação de várias empresas sem o devido processo licitatório (concorrência pública). A denúncia foi admitida e considerada procedente pelo TCE.

O parlamentar também denunciou Mário Abrahim no Ministério Público do Amazonas (MPAM) e na Polícia Federal, por supostas fraudes em licitações e pagamento a funcionários fantasmas.

Recentemente, Robson anunciou que estava sofrendo ameaças de morte e acusou pessoas ligadas ao prefeito de estarem por trás das intimidações.

Cassação

Nesta terça-feira (22) aconteceu a votação do relatório apresentado pela CPI que emitiu parecer favorável a cassação de mandato de Robson. Confira como cada parlamentar votou:

Após o resultado, Robson declarou que deixa o parlamento de cabeça erguida e atribuiu sua cassação ao prefeito Mário Abrahim.

“Existe uma motivação de tudo isso e a população sabe. Existe diretamente o envolvimento do poder executivo nesse processo, isso está explícito.”, declarou.

O Radar procurou a Prefeitura de Itacoatiara, questionando a gestão sobre essa possível perseguição contra vereador Robson Siqueira, mas até a publicação desta matéria não houve resposta.