Após denúncias de fraude no concurso da Seduc, provas para professores são canceladas

Foto: G1/Am

Após candidatos inscritos no concurso da Secretaria de Estado de Educação do Amazonas (Seduc) denunciarem irregularidades no concurso realizado nesse domingo (8) na capital e no interior, o órgão decidiu cancelar as provas para o cargo específico de professor de Ensino Regular – Ciclo, 20 horas – em Manaus. Uma nova data para a reaplicação da prova será definida. A informação foi dada pela Seduc, por meio de nota divulgada à imprensa.

Segundo a secretaria, a decisão ocorreu devido o Instituto Acesso de Ensino, Pesquisa, Avaliação, Seleção e Emprego (Instituto Acesso), contratado pela Seduc para realizar o certame, constatar uma falha humana no manuseio de um dos malotes distribuídos em uma sala, entre as 7 mil utilizadas no Estado, no Centro Educacional de Tempo Integral (Ceti) Elisa Bessa, para o referido cargo.

De acordo com a Seduc, a decisão de anular as provas ocorreu no intuito de “manter a lisura e transparência do Concurso Público”. Ainda de acordo com a pasta, a decisão não atinge os demais cargos do certame e conclui a nota informando que “lamenta os transtornos e efeitos decorrentes da referida falha, reiterando o compromisso com a ampla transparência e lisura do concurso público”.

Reclamações

Ainda no domingo, candidatos inscritos no concurso da Seduc denunciaram ao Radar por meio de áudios, uma série de problemas na realização da prova. Entre as reclamações estavam a distância do local das provas, questões mal redigidas, salas de aulas sem estrutura e até suspeita de fraude no concurso por causa de malotes com provas que sumiram. Após a situação, muitos candidatos registraram Boletins de Ocorrência (BO) na delegacia.

Procurada, a Seduc alegou por meio de sua assessoria de comunicação, que faltaram provas para alguns candidatos em uma das escolas e para resolver a questão, provas extras foram enviadas. Sobre as outras questões, o órgão não se manifestou.

Já a Polícia Civil do Amazonas, informou que iniciou os trâmites legais para apurar as denúncias relativas às provas do concurso público, a partir dos registros de BO feitos nos Distritos Integrados de Polícia e via Delegacia Interativa. Segundo o delegado-geral, Mariolino Brito, todos os envolvidos, entre candidatos e representantes da instituição organizadora do certame, serão ouvidos a partir desta segunda-feira (9).