Após duas semanas de greve dos professores, governo não apresenta contraproposta e paralisação continua

O Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado do Amazonas (Sinteam) e o Sindicato dos Professores e Pedagogos de Manaus (AspromSindical) voltaram a se reunir na noite dessa segunda-feira  (29) com o vice-governador, Carlos Almeida Filho na tentativa de avançar com as negociações sobre o reajuste salarial da categoria. A greve dos profissionais da educação já entrou na segunda semana no Estado.

Na ocasião, Almeida reafirmou que não pode oferecer mais que 3,93% de reajuste salarial, mas se comprometeu em continuar dialogando sobre os outros itens da pauta de reivindicações, inclusive sobre os resíduos de infrações das datas-bases dos anos anteriores, formando para isso um grupo de estudo composto por membros do Governo e dos Sindicatos da categoria.

“Na verdade a ‘proposta’ é uma manobra para que a categoria aceite o reajuste de 3,93% para finalizar as discussões sobre a data-base de 2019, e, consequentemente, a greve seja encerrada”, disse o representante do Aprom Sindical, Lambert Melo. De acordo com o sindicalista, a categoria vai se reunir em Assembleia Geral, nesta nesta terça-feira (30) para debater e deliberar os próximos passos.

Já a presidente do Sinteam, Ana Cristina Rodrigues, reafirmou que a greve continua e que a entidade vai realizar uma manifestação, também nesta terça, em frente a Arena da Amazônia, zona Centro-Sul de Manaus. “Sem uma contraposta melhorada, a greve continua. Não tem acordo, infelizmente”, afirmou Ana Cristina Rodrigues.

A reunião foi marcada após os representantes da categoria da educação do Estado protocolaram, na sede do Governo, o estudo técnico elaborado pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), sobre os Resíduos Derivados da Negociação Salarial entre o sindicato e o Estado do Amazonas em 2018. Na ocasião, mesmo com forte chuva também foi realizado um ato público da greve dos professores, que já dura 15 dias.

Por meio de assessoria de imprensa, o Governo de Wilson Lima (PSC), informou que está esperando um entendimento da categoria para enviar à Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam) o projeto de lei que concede a reposição salarial de 3,93%. Sobre as demais demandas dos profissionais, como as progressões verticais e horizontais que estão na proposta do Governo do Estado, serão discutidas novamente com a categoria.