Após intercessão de deputada, Governo vai rever orçamento de políticas públicas para mulheres

O governo de Amazonino parece estar disposto a rever o orçamento destinado às políticas públicas para as mulheres. Pelo menos é o que leva a crer manifestação verbal feita pelo vice-líder da bancada governista na Assembleia Legislativa do Estado (Aleam), deputado Donmarques Mendonça (PSDB), em resposta às reclamações feitas pela deputada Alessandra Campêlo (PMDB) que apontou previsão de queda de recursos e extinção de algumas ações em defesa dos direitos das mulheres no Projeto de Lei Orçamentaria Anual (PLOA) . Na sessão dessa terça-feira, 14, a líder do PMDB na Assembleia Legislativa voltou a criticar alguns pontos que considera equivocados no PLOA de 2018.

A deputada questionou a extinção de ações de enfrentamento à violência familiar e doméstica, conforme estudo feito por sua assessoria técnica. Outro ponto polêmico na proposta encaminha pelo Governo, explicou Alessandra, é a redução de R$ 1,2 milhão para R$ 800 mil no orçamento para Gestão e Operacionalização dos Serviços de Atendimento às Mulheres. Campêlo também se mostrou contrariada com a proposta de redução de R$ 1,5 milhão para R$ 250 mil os recursos para Construção e Reformas dos Centros de Atendimento às Mulheres.

“Num Estado que lidera as estatísticas de violência contra a mulher, é lamentável que o atendimento e combate à violência contra a mulher sofram redução e até extinção em alguns casos. O gestor, a pessoa que pensou a Lei Orçamentária para 2018 não teve a preocupação de assessorar o governador Amazonino Mendes nesse pensamento voltado para a mulher”, comentou Alessandra, que preside a Comissão da Mulher, das Famílias e do Idoso da ALEAM.

Em aparte, o vice-líder do Governo na Casa, deputado estadual Donmarques Mendonça (PSDB), reconheceu os equívocos e disse que o Chefe da Casa Civil, deputado licenciado Sidney Leite, vai rever o orçamento do que diz respeito às questões das mulheres.

“Sua intervenção é muito importante para o enriquecimento do próprio trabalho do Estado, principalmente na questão da mulher. O papel do Parlamento é importante nesse processo, que é justamente corrigir possíveis falhas”, comentou Donmarques.

Em seu pronunciamento, Alessandra também criticou as propostas que colocam fim a ações de prevenção a drogas e proteção integral à criança e ao adolescente.

Fotos: Jimmy Christian