Após matéria do Radar, MPAM entra com ação para suspender shows de Sorriso Maroto e Bruno e Marrone em Urucurituba

bruno e marrone mpam

Foto: Reprodução

Após repercussão do Radar Amazônico, o Ministério Público do Amazonas (MPAM) entrou com uma Ação Civil Pública (ACP) pedindo o cancelamento dos shows da dupla Bruno e Marrone e do grupo de pagode Sorriso Maroto, atrações da 17ª Festa do Cacau, marcada para acontecer os dias 15, 16, 17 e 18 de junho de 2022, em Urucurituba (a 273 quilômetros de Manaus).

A ação foi proposta pelo promotor de Justiça, Kleyson Nascimento Barroso, na última sexta-feira (29). Ele destacou que o MPAM não tem nada contra o evento, mas destacou a situação socioeconômica vivida pelo município no que diz respeito às dificuldades vividas pelos moradores de Urucurituba.

“É importante destacar que o MPAM não tem nada contra a realização de evento festivo, mas, diante da atual precariedade enfrentada pela população local, especialmente nas áreas da saúde, educação, moradia, saneamento básico e pavimentação de ruas, a realização de um evento desse porte afronta os princípios de legalidade, moralidade, eficiência, proporcionalidade e razoabilidade que orientam a administração pública, visto que o valor dos quatro dias de show chegaria próximo de R$ 1 milhão”, disse o magistrado.

A falta de infraestrutura é alvo de reclamações no município – Foto: Divulgação

Conforme noticiado pelo Radar Amazônico, a contratação da dupla Bruno e Marrone foi feita pelo prefeito José Claudenor Pontes, o “Sabugo” (PT), no valor de R$ 500 mil. O show terá duração de 80 minutos e está marcado para acontecer no dia 16 de junho.

A contratação do show foi publicada no Diário Oficial Eletrônico (DOE) da Associação Amazonense dos Municípios (AAM). Segundo a publicação oficial, a empresa WBM Produtora de Eventos LTDA, inscrita no CNPJ 09.261.808/0001-05, foi a contratada pela Prefeitura de Urucurituba para trazer a apresentação da dupla Bruno e Marrone para o município.

Contratação do show de Bruno e Marrone – Foto: Reprodução

O valor do show do grupo de pagode Sorriso Maroto não foi divulgado, contudo, o cachê da banda está avaliado em R$ 200 mil.

Até a publicação desta reportagem, a Prefeitura de Urucurituba não se manifestou a respeito da ação movida pelo MPAM.

Ação Civil Pública