Após morte de três gestantes, MPE pede intervenção de hospital em Novo Aripuanã

Após a morte de três gestantes nos últimos dois meses no Hospital Regional do município Novo Aripuanã (a 1.374 quilômetros de Manaus), o Ministério Público Estadual (MPE), pediu a intervenção da unidade hospitalar. Na ação, o órgão também pede o afastamento imediato do gestor do hospital e que seja nomeado um interventor pela Secretaria de Estado de Saúde (Susam) para tomar medidas urgentes sobre o atendimento à população.

Segundo a Promotora de Justiça titular da Comarca de Novo Aripuanã, Tania Maria de Azevedo Feitosa, uma inspeção realizada no dia 7 deste mês, revelou que o hospital se encontra em completo abandono pelo Governo do Estado.

Dentre as irregularidades encontradas estão o plantão de apenas um médico para atendimento ambulatorial, enfermaria e emergência na unidade de saúde. As salas e enfermarias se encontram impregnadas de mofo e sujeira, sem balas de oxigênio nem equipamentos necessários para socorro de urgência e emergência.

Também foram encontradas tomadas expostas nos banheiros, o que coloca em perigo a vida de pacientes e acompanhantes. Além disso, três crianças foram internadas em enfermarias de adultos.

Na ação movida pelo Ministério Público, o órgão pediu, a remoção das crianças no prazo máximo de 24 h, e o imediato envio de clínico, gineco-obstetra, cirurgião, anestesiologista, oftalmologista e dermatologista para atendimento aos pacientes. A Ação está conclusa ao Juiz para apreciação das medidas urgentes.

Com informações da assessoria do MPE.