Após operação da PF, STJ tira de pauta julgamento de Wilson Lima

O Superior Tribunal de Justiça (STJ) tirou da pauta de julgamento o processo que julgaria o governador do Amazonas, Wilson Lima (PSC), por crimes de corrupção durante a pandemia de Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus.

O caso seria julgado nesta quarta-feira (2/6). Logo nas primeiras horas do dia, a Polícia Federal deflagrou uma operação no Amazonas contra o governo estadual que investiga desvios na saúde.

O processo foi retirado de pauta a partir de um pedido da defesa, que alegou não ter tido prazo hábil para apresentar todas as suas alegações, incluindo a abertura de prazo para manifestação do Ministério Público.

“Sugeri o adiamento desta sessão. Acato a proposta de tirar processo de pauta. Vou dar prazo ao MP e aos advogados e assim que ele estiver pronto, peço à vossa excelência para pautar”, disse o ministro Francisco Falcão. O ministro Humberto Martins disse que, no “momento oportuno”, o processo será levado a julgamento.

O relator, ministro Francisco Falcão, afirmou que após ouvir as partes e, irá pedir novamente a colocação em pauta. Portanto, ainda não há data para o julgamento.

Operação

Na decisão em que autorizou a operação contra Wilson Lima, o ministro Francisco Falcão apontou ação direta do governador para fraudar a contratação da Fundação Nilton Lins, que mantém um hospital em Manaus, para prestar serviços de saúde durante a pandemia.

A Polícia Federal realizou a quarta fase da Operação Sangria, que também investiga a formação de organização criminosa.

No total, a corporação cumpre 19 mandados de busca e apreensão e outros seis de prisão, em Manaus (AM) e em Porto Alegre (RS). A casa do governador do Amazonas foi alvo dessa ação. A ordem judicial também prevê o sequestro de bens e valores que somam R$ 22.837.552,24.