Após perder cargo de governador e todo capital político, Melo perde até conta bancária 

Ex-governador José Melo e a ex-primeira-dama Edilene Gomes

Passados mais de dois anos depois de perder o cargo de governador do Amazonas e todo capital político que havia conquistado ao longo de mais de 30 anos de vida pública, José Melo acabou perdendo, também, a conta bancária que usa para receber a pensão vitalícia de ex-governador. (Veja decisão no final da matéria) 

O Bradesco conseguiu na Justiça Estadual cancelar a conta bancária que o ex-governador tinha na instituição. Em 2018, a banco comunicou Melo sobre o encerramento unilateral da conta. O ex-governador acionou a Justiça para evitar o fechamento e acabou recebendo uma decisão favorável. O Bradesco recorreu da decisão.

Nessa segunda-feira (26), uma decisão da Terceira Câmara Cível, do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM), por unanimidade, anulou a decisão anterior que favorecia José Melo e impedia o encerramento da conta bancária em uma das agências do Bradesco.

A decisão é assinada pelo desembargador João de Jesus Abdala Simões, que resolveu conhecer o recurso do Bradesco para que seja cancelada a conta bancária que Melo tinha a instituição. 

Além de pedir o encerramento da conta de José Melo, o Bradesco informou à Justiça Estadual que não quer, inclusive, tomar conta da previdência do ex-governador. 

Encerramento

Já virou rotina por parte das agências bancárias cancelarem contas de investigados em operações criminais. Na operação “Lava Jato”, por exemplo, os bancos Bradesco e Brasil notificaram alguns de seus clientes sobre o encerramento das contas.

Confira decisão na íntegra