Após prorrogação da CPI da saúde não ser votada pelo terceiro dia seguido, deputado aponta que Aleam não escuta o povo

Foto: Divulgação

Após a prorrogação por mais 60 dias da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Saúde não ser votada pelo terceiro dia consecutivo na Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), o deputado Wilker Barreto (Podemos), apontou que a ação é uma manobra e prova clara dos deputados da base governista para barrar a continuidade dos trabalhos da CPI. Além disso, o parlamentar também frisou que a atitude manchará a história do Poder Legislativo no Amazonas.

“É uma falta de respeito esta Casa não garantir quórum (quantidade de deputados exigida para realizar uma votação) para a votação de uma matéria importante que é a continuidade da CPI da Saúde. Mais uma vez, a não votação deste requerimento é uma articulação da base do Governo que de forma clara esvazia o Plenário e que sequer discute a matéria pelo menos para justificar o porquê pela não prorrogação. A Assembleia não pode ter na sua mão de um lado lama e do outro sangue”, criticou Barreto.

O deputado também ressaltou que a Assembleia Legislativa deveria atender os interesses da sociedade amazonense e não ficar do lado do Governo.

“Este Governo é chamado pela PGR (Procuradoria Geral da República) de quadrilha, mas a Assembleia arquiva impeachment, não apura indícios de corrupção, não aprecia novos pedidos de impeachment e agora não prorroga uma CPI que visivelmente está fazendo um bem ao dinheiro público, prova clara da subserviência e pequenez que transformou esta Casa”, disparou Wilker.

Por fim, Wilker alertou que os atos do Legislativo estão sendo acompanhados e serão julgados pela sociedade. “O silêncio desta Casa hoje está sendo um grito ensurdecedor no ouvido da população. Eu estou envergonhado como este Parlamento não escuta a voz das ruas e os apelos da sociedade, mas o povo não é bobo e está acompanhando cada atitude, e isso vai ser cobrado mais cedo ou mais tarde”.

(*) Informações da assessoria