Após quase 1 mês, Papa Francisco volta a receber fiéis na Praça de São Pedro

Foto: Vincenzo Pinto/AFP

O Papa Francisco voltou a receber fiéis na Praça de São Pedro neste domingo (18), quase um mês depois que as celebrações públicas foram suspensas para evitar a 3ª onda da pandemia do coronavírus na Europa.

O líder da Igreja Católica rezou com seus seguidores a partir da tradicional janela do Palácio Apostólico, onde fica seu escritório, que dá diretamente para a praça símbolo do Vaticano.

Centenas de católicos se reuniram em frente ao palácio papal para acompanhar a oração. O uso de máscara era obrigatório, mas alguns não respeitaram as recomendações de distanciamento social.

Lockdown

O primeiro lockdown imposto na cidade-estado que fica dentro de Roma aconteceu em 2020, durante a primeira onda da pandemia, quando a Itália chegou a ser considerada o epicentro da doença no mundo.

De 8 de março a 24 de maio, o Papa conduziu as orações de domingo de dentro da Biblioteca do Palácio Apostólico, sua residência oficial, com transmissão ao vivo pela internet.

Desde então, as celebrações públicas na Praça de São Pedro foram suspensas mais duas vezes por conta dos protocolos sanitários:

Entre 20 de dezembro e 7 de fevereiro

Entre 21 de março e 11 de março

Páscoa esvaziada

As celebrações da Semana Santa, no início de abril, aconteceram com público reduzido e uso obrigatório de máscaras.

Francisco conduziu na Sexta-Feira Santa, a exemplo de como foi no ano passado, uma nova cerimônia de Via-Sacra sem a tradicional multidão de fiéis.

Apoio aos brasileiros

A volta das celebrações na Praça de São Pedro acontece três dias depois que Francisco enviou uma mensagem de apoio aos brasileiros.

Na quinta-feira (15), O Papa Francisco disse em vídeo que os brasileiros enfrentam “uma das provas mais difíceis de sua história” pela pandemia de coronavírus.

A mensagem, gravada (veja no vídeo abaixo), foi enviada aos participantes da Assembleia Geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), que reúne por videoconferência 485 bispos.