Após tragédia com esportistas, Confederação de Paraquedismo suspende saltos em Manaus

A suspensão é temporária "até a finalização do Relatório de Investigação de Acidente – RELIA

A esquerda o advogado Luiz Henrique que continua desaparecido e a direita Ana Carolina

A Confederação Brasileira de Paraquedismo (CBPq) determinou a suspensão das atividades de salto no Aeroclube do Amazonas após a tragédia que resultou na morte de Ana Carolina, de 27 anos, e no desaparecimento de Luiz Henrique Cardelli, de 33 anos, no último dia 15 de abril.

A suspensão é temporária, segundo o documento será, “até a finalização do Relatório de Investigação de Acidente – RELIA, limitado a 30 (trinta) dias.”. A decisão foi publicada nessa sexta-feira (22) e assinada pelo presidente da CBPq, Uellinton Mendes.

Ainda segundo a Confederação de Paraquedismo, a medida foi tomada levando em consideração a grande quantidade de depoimentos a serem colhidos para elaboração da investigação do acidente ocorrido no Aeroclube. A entidade também reforça que todas as escolas filiadas e presentes no dia do acontecido estão regulares e em dias com a FAP e CBPq. A suspensão começou a valer a partir da data da publicação do documento.

Leia nota da Confederação de Paraquedismo

A CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE PARAQUEDISMO – CBPq, por meio do Presidente UELLINTON MENDES DE JESUS, no uso das atribuições que lhe confere o Art. 11, Incisos I e III do Estatuto da Entidade;

Considerando a quantidade de depoimentos a serem colhidos para elaboração do RELIA referente à ocorrência do dia 15 de abril de 2022 em atividade de salto no Aeroclube do Amazonas, Manaus-AM;

Considerando que todas as escolas filiadas presentes no dia da ocorrência estão regulares e em dia com a FAP e CBPq;
Considerando o profundo respeito aos atletas filiados, à sociedade civil e principalmente aos familiares dos envolvidos na ocorrência;
Considerando que a FAP e a CBPq não medirão esforços para buscar uma prática de paraquedismo cada vez mais seguro para seus filiados;
RESOLVE:

Artigo 1º- Determinar a suspensão temporária das atividades de salto no Aeroclube do Amazonas, na cidade de Manaus-AM até a finalização do Relatório de Investigação de Acidente – RELIA, limitado a 30 (trinta) dias a partir da data da ocorrência, ou revogação desta portaria;
Artigo 2º – A CBPq, a exemplo da FAP, destinará recursos financeiros no limite de suas possibilidades para auxiliar nas buscas em andamento.
Esta Portaria entra em vigor a partir desta data. Publique-se. Arquive-se.
Boituva, SP, 22 de abril de 2022

Confira o documento de suspensão de saltos em Manaus