Após três meses de geve, Asprom Sindical anuncia retorno às aulas presenciais

Após três meses de greve na rede estadual de Ensino, o Sindicato dos Professores e Pedagogos das Escolas Públicas de Manaus (Asprom Sindical) declarou o fim do movimento grevista que teve o objetivo de alertar para o aumento dos níveis de contaminação por coronavirus entre os professores, alunos e suas famílias. Parte dos professores da rede estadual de ensino sustentaram a paralisação apelando para que o governador Wilson Lima suspendesse as aulas presenciais, mas o governador não recuou e sequer aceitou se reunir com os profissionais da educação.

Segundo o coordenador de Comunicação da Asprom Sindical, Lambert Melo o fim da greve se fundamentou na análise de que já havia cumprido o seu papel de ser instrumento de luta na resistência da categoria contra a decisão irresponsável do governador Wilson Lima de aprovar o retorno das aulas presenciais.

Mesmo sem conseguir a revogação da decisão, Lambert diz que a Asprom Sindical comemora inúmeras vitórias que foram conquistadas graças as incansáveis manifestações em diversos órgãos públicos de Manaus.

Entre as principais conquistas está a testagem em massa dos professores, que revelou mais de 4 mil profissionais infectados, permitindo assim, que estes pudessem se afastar de suas funções para poder cuidar da saúde. No entanto, 40 professores perderam a vida para a Covid-19.

A Asprom Sindical ressaltou ainda, que continua em estado de greve, pelo fato da cidade de Manaus estar passando pela segunda onda de contaminação por Covid-19 conforme foi alertado por cientistas.