Após visita ao Amazonas, Indonésia pretende estreitar relação com a ZFM

Fotos: Márcio Gallo

Com objetivo de discutir meios de estreitar as relações entre a Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa) e o país asiático a autarquia recebeu, nesta a visita do embaixador da Indonésia no Brasil, Toto Riyanto, e do ministro conselheiro da embaixada, Sudarsono Soedirlan. O encontro foi conduzido pelo superintendente em exercício da Suframa, Bruno Lobato e contou com a participação do técnico da Coordenação-Geral de Estudos Econômicos e Empresariais, Rafael Gouveia.

Bruno Lobato destacou que há diversas formas de intercâmbio que podem gerar benefícios para a área de atuação da SUFRAMA e para a Indonésia, tendo em vista as necessidades do Polo Industrial de Manaus (PIM), por exemplo. “Aqui temos indústrias de diversos segmentos que utilizam insumos para uma variada lista de produtos, de televisores a motocicletas. Incrementar as relações comerciais com a Indonésia poderia possibilitar a importação, dentro dos limites legais dispostos nos Processos Produtivos Básicos, de insumos para as linhas de produção instaladas na Zona Franca de Manaus, bem como o país asiático poderia ampliar sua participação como mercado consumidor dos produtos originados aqui”, afirmou.  

O embaixador indonésio disse que a região de Batam, localizada próxima à Cingapura, conta com um regime econômico especial e uma aproximação com a ZFM poderia gerar uma relação comercial benéfica a ambos países. “Temos insumos que atraem a atenção de investidores internacionais, como empresas que estão instaladas tanto na Indonésia quanto na Zona Franca de Manaus. Seria interessante criarmos a oportunidade de trabalhar em conjunto e crescer”, pontuou Riyanto.  

Durante a apresentação feita aos diplomatas asiáticos, foram destacados dados dos Indicadores de Desempenho do PIM, como produção e faturamento. As questões logísticas e as Áreas de Livre Comércio (ALCs), cobertas pelos incentivos administrados pela Suframa, também foram evidenciadas aos diplomatas, que demonstraram interesse em aprofundar seus conhecimentos, em especial devido à extensa área de atuação da autarquia, com ramificações em regiões fronteiriças.  

Com informações da assessoria da Suframa