Arma do ex-ministro da Educação dispara acidentalmente em aeroporto de Brasília e funcionária é ferida por estilhaços

Foto: Reprodução

O ex-ministro da Educação, Milton Ribeiro, passou por uma situação perigosa e inusitada nesta segunda-feira (25): a arma dele disparou enquanto ele estava no balcão da companhia aérea Latam, no Aeroporto Juscelino Kubitschek, em Brasília. De acordo com informações da empresa, uma funcionária da companhia aérea acabou sendo atingida pelos estilhaços do disparo, mas sem gravidade.

Nesse sentido, publicou a Latam em nota, a mulher “está super bem”. “Não houve qualquer ferimento grave, ela foi atingida por estilhaços. Nós estamos dando todo o suporte para a colaboradora”, publicou a empresa, que não revelou o nome da funcionária da companhia.

“A funcionária não precisou ir ao hospital ou levar pontos. Ela teve atendimento no aeroporto, já que ela estava bem. O que ocorreu foi mais o susto do caso mesmo”, disse a Latam. Já o ex-ministro Milton Ribeiro, de acordo com a “TV Globo”, foi encaminhado para a Superintendência da Polícia Federal (PF) e, por lá, prestou depoimento.

Ele, que embarcaria para São Paulo às 19h50, afirmou que, como havia feito o “despacho de arma de fogo” pela internet. Ao chegar ao balcão da companhia aérea por volta das 17h, informou o ex-chefe da pasta, ele, ao abrir sua pasta de documentos, pegou a arma para separá-la do carregador “dentro da própria pasta, momento em que ocorreu o disparo acidental”.

“Como havia outros objetos dentro da pasta, o local ficou pequeno para manusear a arma”, disse o ex-ministro, em depoimento. Ainda de acordo com as declarações à PF, Milton Ribeiro afirmou que, “com medo de expor sua arma de fogo publicamente no balcão, tentou desmuniciá-la dentro da pasta, ocasião em que ocorreu o disparo acidental”.

“O projétil atravessou o coldre e sua pasta e se espalhou pelo chão”, disse ele em depoimento, de acordo com informações publicadas pela “TV Globo”. Ainda na oitiva, o ex-ministro afirmou que não havia outros passageiros no balcão, “apenas a funcionária” da Latam”.