Arrecadação federal bate recorde e chega a R$ 156,822 bilhões

Fachada do Ministério da economia na Esplanada dos Ministérios

O Ministério da Economia divulgou, nesta quinta-feira (20/5), a arrecadação total de impostos, contribuições e demais receitas federais, que atingiram, em abril, o melhor resultado desde 2000, tanto para o mês de abril quanto para o quadrimestre. O valor foi de R$ 156,822 bilhões, registrando acréscimo real (IPCA) de 45,22% em relação ao mesmo período do ano passado.

Essa é a segunda alta consecutiva em relação ao ano anterior. Em março, o valor foi de R$ 137,9 bilhões, com acréscimo real (IPCA) de 18,49% em comparação com o mesmo mês de 2020.

De acordo com especialistas, o acréscimo ocorreu porque os resultados de abril do ano passado foram muito baixos.

“A variação é um número alto porque a base foi muito baixa. Em abril, tivemos fechamentos e lockdown tanto no ano passado quanto agora. Em 2020, a arrecadação foi de R$ 101.154,21 milhões. Isso é muito baixo”, explicou a economista da Nécton Nathalie Marins.

O governo, entretanto, atribui os bons números aos fatores não recorrentes, como recolhimentos extraordinários de R$ 12 bilhões do IRPJ/CSLL de janeiro a abril de 2021 e pelos recolhimentos extraordinários de R$ 2,8 bilhões no mesmo período do ano anterior.

“Além disso, as compensações aumentaram 63% em abril de 2021 em relação à abril de 2020 e cresceram 40% no período acumulado”, informou o ministério por meio de análise da arrecadação.