Arthur Vírgilio confirma disputa nas prévias e acredita que PSDB pode ser primeira via em 2022

Foto: Reprodução

O presidente do PSDB-AM, Arthur Virgílio Neto, reafirmou nesta sexta-feira (28.5) que vai disputar as prévias do PSDB que indicará um candidato à presidência da República em 2022 e que acredita que o partido pode sim ser a primeira via na disputa presidencial. “Sou a favor das prévias, com voto universal, porque considero que é a forma mais correta e mais justa. Disputarei as prévias do jeito que elas vierem porque é importante que não percamos esse momento de promover uma inovação que outros partidos vão acabar copiando. Vamos fazer história, sendo novamente pioneiros”, afirmou.

Arthur Virgílio Neto, que já ocupou cargos como de prefeito de Manaus e de senador da República senador, e foi um dos fundadores do PSDB, participou do Painel Conversa Com os Presidenciáveis – “Prévias, Democracia e Partido: Para Onde Vamos”, mediado pela presidente nacional do PSDB-Mulher, Yeda Crusius. O painel foi transmito ao vivo pelo canal PSDB Brasileiras no YouTube (https://youtu.be/a9n1ik4O3KE).

Durante a conversa, Arthur falou sobre o que espera do partido, sobre a ascensão da mulher na política, sobre Amazônia, Forças Armadas, Relações Internacionais e economia, entre outros assuntos. Virgílio defende a necessidade de o pensamento sobre a social democracia ser reescrito a partir das discussões internas, por meio de um congresso nacional com os militantes. “Somos o Partido da Social Democracia Brasileira que precisa ser reformado, modernizado. E precisamos incluir nessa bandeira o parlamentarismo”, defendeu.

O presidenciável afirmou que o PSDB tem grande responsabilidade no cenário político atual, onde o extremismo prevalece. “Esse partido tem uma responsabilidade enorme, temos que buscar a união, ter capacidade articuladora de unir pessoas que venham se juntar conosco em uma primeira via. Estamos dispostos a dialogar e conversar, mas entendemos que o PSDB tem condições de apresentar um candidato e obter êxito”, afirmou.

Para Arthur Virgílio, o PSDB é um abrigo para a democracia plena e para os anseios mais nobres para os brasileiros. “Está na hora de o Brasil unir os brasileiros e enterrar o ódio, essa política de nós contra eles é ruim, nos faz danos. Temos que dialogar com os opositores da mesma forma que dialogamos com os que pensam como nós”, reforçou.

Arthur também falou sobre a ascensão da mulher na política e sobre a proposta defendida pelo PSDB-Mulher de participação paritária (50% de homens e 50% de mulheres) na composição de diretórios e na escolha de candidatos à eleição, como ocorre em países da América Latina como México, Chile e Costa Rica.

“Eu vi coisas horríveis ocorrerem no Brasil em relação à participação da mulher nas eleições, com desvio de recursos, com a mulher sendo usada como objeto. Tem que haver uma enorme união entre homens com cabeças progressistas e mulheres com a cabeça feita sobre os seus direitos. Eu penso o quanto seria bom para a democracia termos igualdade efetiva entre homens e mulheres”, disse. “Lutar contra a ascensão da mulher é lutar contra a inteligência. Temos que lutar juntos por causas comuns”, avaliou Arthur.

O diplomata de carreira também fez críticas à diplomacia brasileira atual. “Nunca estivemos tão em baixa. Somos um país desacreditado. Tivemos um ministro das Relações Exteriores que foi o pior da história”, disse Arthur, defendendo que o Brasil tem uma importante função na política internacional. “Temos que ter um grande papel de solucionador de crises, respaldados pelos organismos internacionais. O Itamaraty tem que voltar a ser um lugar de excelência. A diplomacia ajuda no desenvolvimento, ajuda o país a crescer”, completou.

Sobre a Amazônia, Arthur Virgílio voltou a destacar a importância estratégica da região não só para o país como para o mundo e ressaltou a necessidade de investimentos em bionegócios com aproveitamento sustentável da biodiversidade e falou também do papel fundamental das Forças Armadas na manutenção e proteção das florestas em território brasileiro.

O presidenciável deixou claro alguns dos seus posicionamentos: “Sou contra o racismo, contra a homofobia e sou a favor de apertar a legislação contra o feminicídio”, destacou. Arthur também defendeu o projeto nacional de segurança pública, com foco no combate ao narcotráfico, e políticas públicas fortes para atender pessoas com deficiências. “Não vejo as pessoas com deficiência. Vejo o Estado como deficiente, porque não investe de verdade nisso”, avaliou.

O painel

O painel faz parte da agenda nacional do PSDB-Mulher visando às eleições majoritárias e proporcionais de 2022, que vão escolher presidente da República, senadores, deputados federais e deputados estaduais. A agenda prevê a realização de prévias partidárias para a escolha de quem deverá representar o PSDB na disputa presidencial. Quatro membros – Arthur Virgílio, João Dória, Tasso Jereissati e Eduardo Leite – já apresentaram seus nomes para a avaliação interna. As prévias estão inicialmente programadas para o dia 17 de outubro.

“O nosso presidenciável [Arthur], nós estamos juntos desde que comecei minha vida política, já no PSDB. Falar do Arthur Virgílio é falar de uma história do tamanho do PSDB”, afirmou a presidente do PSDB Mulher, Yeda Crussius. “Fui testemunha da sua luta pelas prévias já em 2018 e, agora, estamos construindo isso. “Isonomia é a palavra de ordem aqui, todos os candidatos às prévias terão o mesmo espaço”, completou.

(*) Informações da assessoria