As “chicotadas” em Wilson Lima e David Almeida do povo que foi marchar pra Jesus

Tem uma passagem da Bíblia, popularmente chamada de “vendilhões do templo”, onde Jesus, mesmo com seu infinito amor pelo ser humano – expulsa na base do chicote, os negociantes que estavam fazendo comércio na Casa de Oração: “Estava próxima a Páscoa dos judeus e Jesus subiu a Jerusalém. No Templo, encontrou os vendedores de bois, ovelhas e pombas e os cambistas que estavam aí sentados. Fez então um chicote de cordas e expulsou todos do Templo, junto com as ovelhas e os bois; espalhou as moedas e derrubou as mesas dos cambistas. E disse aos que vendiam: “Tirai isto daqui! Não façais da casa de meu Pai uma casa de comércio!”

Esta passagem bíblica me veio à mente quase que instantaneamente, no sábado, na Marcha pra Jesus, durante discursos visivelmente políticos e eleitoreiros que nada tinham a ver com o evento religioso. O governador Wilson Lima foi calado pela multidão na base da vaia. Wilson se viu tão incomodado que disse pouquíssimas palavras e saiu de cena rapidamente.   

O prefeito de Manaus, David Almeida, bem que ainda tentou fazer o povo parar com as vaias pra cima de Wilson Lima, seu aliado político, mas não adiantou de nada. As vaias ainda ficaram piores e David vendo que estava numa situação vexatória, viu como única alternativa recuar e voltar pro seu lugar, sentado e quieto.

O povo que realmente queria marchar, somente pra Jesus, imitou o Senhor na passagem bíblica dos vendilhões do templo e decidiu dar umas “chicotadas” em quem quis desrespeitar a homenagem para o filho de Deus.

As “chicotadas” do povo de Deus em Wilson Lima e David Almeida não ficaram só por conta das vaias. Seguidores do Radar que estavam na Marcha pra Jesus, disseram que a dupla, Wilson Lima e David Almeida levou “peia” até de xingamento com exemplos bíblicos.

Wilson Lima teria sido chamado pela multidão de Barrabás, um ladrão e assassino que foi perdoado pelos romanos e libertado por Pôncio Pilatos , enquanto Jesus Cristo foi condenado a morte.

Já o prefeito teria sido chamado de Judas por pessoas na multidão, numa referência ao apóstolo que traiu Jesus por dinheiro, numa referência de que teria se vendido para Wilson Lima e traído o povo que o elegeu.