Anúncio

Às turras com Amazonino, Silas faz campanha no interior levando o nome de Alfredo senador e Omar governador

Além de imoral, nosso Radar acredita ser ilegal fazer campanha política fora de época e usar descaradamente os benefícios do INSS e o seguro defeso, ambos pagos com recursos federais. Mas é exatamente o que faz o deputado federal evangélico, Silas Câmara, sem qualquer reação por parte da Justiça Eleitoral do Amazonas que finge não ver nada. E agora ele não usa a estrutura de aparelhos públicos só pra si. Às turras com o governador Amazonino Mendes, o deputado federal evangélico Silas Câmara, anda “jurando sobre a Bíblia” – não é no sentido literal, tá gente! – que o melhor para o Amazonas é Alfredo Nascimento no Senado Federal e Omar Aziz, no Governo do Estado.

Para quem não acredita no que o Radar está dizendo sobre o uso da máquina pública, as postagens no Instagram do deputado federal são provas incontestáveis. Sem disfarçar o que está fazendo, Silas aborda em suas postagens nas redes sociais reuniões pelas cidades do interior onde trata de benefícios previdenciários e do seguro defeso paga pelo Governo Federal aos pescadores. “No início; dessa semana fui até #Atalaia do Norte, acompanhado do deputado federal Alfredo Nascimento, Clizares Santana do INSS (…) para uma conversa com os pescadores da região sobre o seguro defeso “, conta Silas em uma das postagens.

Silas diz a mesma coisa sobre sua ida a Fonte Boa, onde conta ter conversado “sobre vários assuntos relacionados a pesca com o “pastor Jason Freitas da IEADAM (Igreja Evangélica Assembleia de Deus do Amazonas)” daquela cidade – e eu que pensava que os líderes religiosos, assim como está escrito na Bíblica, eram pescadores de homens para Deus e não de votos para Silas, né gente! Na mesma postagem, o deputado também conta que “participou da inauguração do posto de atendimento do INSS”.

Esses são apenas dois exemplos de postagens todas semelhantes em que o deputado Silas Câmara, age como se tivesse total controle sobre a máquina pública federal – será que ele fez esse acerto com Temer em troca de voto favorável às reformas, hein gente?

Bloco dos excluídos

Segundo fontes do Radar, a união eleitoral entre Silas, Alfredo e Omar estaria alicerçada no passa fora que levaram do Governador Amazonino Mendes. Silas, apesar de posar de bom samaritano, não perdoa de jeito nenhum o fato do governador ter tirado das mãos de sua trupe a Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Cidadania (Sejusc), de onde ele esperava tirar um caminhão de votos, e do cargo de secretário daquela pasta seu correligionário – pra não dizer coisa pior, meu povo! – o também evangélico, vindo da Bahia, aquele que diz mandar e desmandar no INSS, Clizares Santana, a quem Silas prometeu que vai eleger deputado estadual.

Assim como Silas, outros debandaram das hostes governistas. Omar não gostou nada de Amazonino tirar do Governo todos os seus parentes e aderentes. E, se durante a campanha eleitoral, pensou que ia mandar tanto no Governo de Amazonino quanto mandava na época de Melo, se enganou redondamente. O mesmo aconteceu como deputado Pauderney Avelino que considera ter sido abandonado pelo governador sem sequer dizer by,by.

E apesar de terem apoiado o governo do amor, essa turma não está pra “só love”. Eles garantem que, se depender deles, Amazonino terá apenas esse ano de Governo.