Asprom convoca profissionais da educação para discutir indicativo de greve

Foto: Divulgação/Asprom.

O Sindicato dos professores e pedagogos de Manaus (Asprom Manaus) convocou os profissionais da área da educação da Rede Estadual de Ensino,  para uma assembleia geral, na manhã deste sábado (01), na Praça da Polícia, no Centro de Manaus. Na pauta, a discussão sobre a aprovação de um indicativo de greve.

A categoria não concorda com o retorno das atividades escolares presencias no dia 10 de agosto anunciado pelo governo do Estado. De acordo com a coordenação de comunicação do sindicato da Asprom, Lambert Melo, a volta às aula é um risco à população.

“Está todo mundo observando que os dados repassados pelo governo não são verdadeiros e que a pandemia não está sob controle, então, o sentimento é geral de que as aulas não devem retornar agora”, disse.

Ainda segundo Lambert, o retorno de forma híbrida não resolveria o problema, tendo em vista que, muitos alunos não tem estrutura para acompanhar as aulas  transmitidas via internet.

Retorno das atividades escolares

Essa volta na Rede Pública de Ensino vai ser de forma escalonada, apenas na capital, em sistema híbrido, com retorno de 25% da rede, sendo que em um dia  vão estar presentes 12,5% dos alunos e no outro mais 12,5 %.

Os primeiros que voltam às aulas são os os estudantes do Ensino médio regular e da modalidade de Educação de Jovens e Adultos (EJA). Já no dia 24 de agosto é a vez dos alunos do ensino fundamental. O retorno no interior ainda está em fase de avaliação, pois os números de Covid-19 são preocupantes.

De acordo com Wilson Lima, houve um investimento de mais de R$ 10 milhões na aquisição de materiais e insumos para a proteção, prevenção e combate à disseminação do vírus no ambiente escolar, como um milhão de máscaras de pano, EPIs, álcool em gel 70% e tapetes sanitizantes, dentre outros itens. Também foram feitas adequações na infraestrutura, com a instalação de pias e ajustes das instalações hidráulicas.