Asprom pede apoio de deputados para destravar impasse com governo sobre reajuste salarial

Nessa terça-feira (16), o Sindicato dos Professores e Pedagogos de Manaus (Asprom Sindical), tendo à frente o diretor financeiro Lambert Melo, esteve na Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (Aleam), para pedir apoio dos deputados a fim de destravar o impasse da categoria com o Governo de Wilson Lima sobre o reajuste salarial. Os profissionais da educação reivindicam 15% de data base, mas a Secretaria de Estado de Educação (Seduc) oferece menos de 4%.

“Viemos buscar apoio e parceria da Casa Legislativa. Entendemos que a Assembleia e seus deputados são soberanos e saberão estabelecer uma ponte de diálogo”, disse Lambert Melo, em pronunciamento na tribuna da Casa Legislativa.

Com as galerias tomadas pelos professores, Lambert Melo, destacou a necessidade da valorização da classe que, segue em paralisação na Capital e Interior. “Somos resistência, lutamos por direitos legais e não aceitaremos qualquer ingerência na organização dos trabalhadores”, destacou.

O líder sindical classificou como “mentiroso” o discurso do secretário de Educação, Luiz Castro sobre a proposta da reposição salarial de 3,9% da data-base de 2019, somada à concessão de 2% relativos a progressões horizontais de carreira e ao pagamento do reajuste de 9,38%, feito em janeiro deste ano, e que resultará em ganhos de 15,31%.

“Na verdade, esses 9,38% de reajuste, é a última parcela da reposição salarial conquistada com a greve do ano passado no governo de Amazonino Mendes. Diz respeito às datas-bases dos anos anteriores que não foram pagas, não tem nada a ver com a data-base deste ano e muito menos com ganho real de salário. Isso é uma mentira e nós vamos esclarecer isso à população”, afirmou Lambert.

O pleito apontado ao Governo do Estado é o aumento salarial de 15%, sendo 5% de perdas inflacionárias e 10% de ganho real. “Fizemos um estudo, junto ao Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos- Dieese, para que os números fossem reais e justos. Nosso pleito é justo, em nenhum momento fugimos dos debates e articulações, vamos lutar até o fim contra assédios e perseguições”, finalizou.

Como resultado do encontro na Aleam, a Asprom sindical conseguiu o comprometimento do presidente da Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas, deputado Josué Neto (PSD) de se colocar como interlocutor entre a categoria e o Governo do Estado, buscando marcar, o mais rápido possível, uma audiência entre a entidade com o governador Wilson Lima.

“Nosso papel está sendo feito, vamos receber e trabalhar para auxiliar nesse momento delicado, mas importante para o processo de democracia no nosso Estado”, comentou Josué Neto.

Com informações da assessoria da Aleam