Asprom Sindical anuncia ato público na Seduc para cobrar reajuste de salários

Categoria denuncia que a pasta tem se negado a recebê-los

Foto: divulgação/ilustrativa

O  Sindicato dos Educadores e Pedagogos de Manaus (Asprom Sindical) realizará, nesta quinta-feira (3), um ato público em frente à Secretaria de Estado de Educação e Desporto (Seduc) com objetivo de exigir que a pasta receba os educadores. O objetivo deles é dialogar e inaugurar a campanha Salarial/Data-Base 2022, que prevê o reajuste dos salários e direitos como vale-alimentação e promoções.

“Estaremos no ato público com muita responsabilidade seguindo as medidas de proteção contra a covid-19, fazendo uso correto e obrigatório de máscara, de álcool em gel 70% e mantendo o distanciamento necessário”, ressaltou o sindicato em nota.

De acordo com Lambert Melo, coordenador de comunicação da Asprom, a categoria vem tentando se articular com a pasta há meses. Inclusive, em outubro de 2021, os professores realizaram outra manifestação pedindo o descongelamento dos salários e na última semana tentaram contactar a Seduc novamente.

“Fomos presencialmente lá na Seduc, na terça-feira da semana passada e assessoria disse que não tinha espaço na agenda para nos receber”, revelou.

Por fim, os educadores convocam os trabalhadores para reivindicar seus direitos.

“Todos os interessados em lutar por seus direitos estão convidados a se unirem nesta luta pelo aumento real 2022, pelas progressões e promoções, por reajuste no auxílio-alimentação e etc”, finalizam.

Folder de divulgação

Data-base

A campanha “data-base” que os professores estão pedindo consiste no período do ano destinado à correção salarial e revisão das condições de trabalho. De acordo com a categoria, o reajuste deste ano deve ficar entre 11% e 12%.