Assembleia Legislativa entra na “guerra” contra o sarampo

Legenda: Diretor de Saúde da Aleam, médico Arnoldo Andrade

Após um dos deputados se afastar dos trabalhos legislativos por ter contraído sarampo, a Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (Aleam) entrou de vez na “guerra” contra epidemia da doença. O Poder Legislativo prepara por iniciativa da Diretoria de Saúde e com apoio do presidente do Poder, deputado David Almeida (PSB), prepara um Protocolo de urgência para prevenir e combater o surto de sarampo em Manaus.

“A medida é de prevenção e controle, pois nosso Estado e o de Roraima estão enfrentando um surto de sarampo e deve passar por esse procedimento para que consequências maiores não venham a ocorrer no futuro”, observou o diretor de Saúde, médico Arnoldo Andrade. O protocolo ainda não tem data definida para iniciar.

Dados apontam que até a segunda quinzena de junho, 263 casos da doença foram confirmados no Amazonas e 200 em Roraima. O surto começou no Estado vizinho que tem registrado casos desde fevereiro deste ano por conta do aumento da entrada de venezuelanos devido à crise econômica e política do país vizinho.

O diretor de Saúde, Arnoldo Andrade, explicou que o sarampo por ser uma doença viral contagiosa e uma das maiores causas de morte entre crianças não vacinadas. “Esses casos se multiplicaram de forma rápida, e, naturalmente, vieram a contaminar nosso Estado como já ocorre hoje, aparecendo vários quadros chegando ao ponto de haver uma forte intervenção por parte do município decretando Estado de Emergência em relação ao sarampo”, disse Andrade.

Arnoldo Andrade afirmou que a Diretoria de Saúde está fazendo uma campanha rápida de conscientização com os servidores, buscando aqueles que precisam ser vacinados e, ensinando as pessoas como viverem num momento de dificuldades ao contrair o sarampo.

“Uma vez diagnosticada a doença se deve isolar o paciente para não favorecer a contaminação de outras pessoas, uma vez que o contágio ocorre através da respiração, da fala próxima da pessoa e do contato podendo se alastrar rapidamente a quantidade de casos na Assembleia e no Estado do Amazonas”, observou o diretor.