Até servidores públicos de Tapauá estariam em “festa” na lancha que destroçou canoa matando mulheres e crianças

Enterro Tapauá.2 jpg

Contrariando denúncias que chegaram ao Radar de que os culpados pela colisão de lancha com uma canoa estariam sendo protegidos porque entre os ocupantes estariam servidores públicos ligados a administração do prefeito Almino Gonçalves, o delegado de Tapauá, Osman Nasser, asseverou da seriedade das investigações e que todos os envolvidos serão devidamente identificados e indiciados por participação no caso. O Radar perguntou ao delegado Osman Nasser: – os leitores do Radar em Tapauá enviaram mensagem dizendo que na lancha estava todo mundo bêbado, havia a presença de garotas e que entre os ocupantes estavam até mesmo servidores públicos como o Sr. Ronaldo Félix que, segundo os denunciantes, ocuparia o cargo de secretário-geral da Câmara Municipal de Tapauá?

A resposta do delegado foi de que não tem conhecimento do cargo público ocupado por Ronaldo Félix. “Mas ele estava na lancha sim. E isso está constando nas investigações”, informou Osman Nasser. Outra reclamação feita pelos familiares das vítimas é de que as notícias divulgadas de que um menor estaria pilotando a lancha seria para minimizar junto a Justiça a culpa dos outros envolvidos no caso, todos adultos. O Radar publicou que quem estaria conduzindo a lancha seria o prático (denominação regional dada a quem pilota barcos), de nome Francisco, mais conhecido na cidade por “curtinho” que trabalha com o proprietário da embarcação, um empresário do ramo de pescado, chamado de Zé da Onça.

“É lógico que pensamos nessa possibilidade de adultos que, nesses casos, querem imputar ao menor a culpa para exatamente diminuir a responsabilidade de seus atos. Mas, o “curtinho” é realmente empregado do dono do barco e só tem 17 anos. E levando em consideração seu depoimento, contando em detalhes tudo o que aconteceu, ele realmente estava pilotado a lancha. Nesse caso, não há nem como pensar que ele possa querer assumir a culpa. Quem vai querer correr o risco de ser linchado por pelo menos 150 pessoas que estão revoltadas com o que aconteceu? E tem mais, o fato dele estar na direção do barco não tira a responsabilidade de quem participou do que aconteceu”, esclarece o delegado.

Dois indivíduos também estão presos acusados de envolvimento direto no acidente que ocasionou a morte de quatro pessoas e deixou cinco feridos, um dele em estado grave, com traumatismo craniano, um menino de cinco anos que está internado em Manaus. Os presos são Ednael e Washington, mais conhecido por “veinho”. As vítimas fatais da colisão da lancha com a canoa são: Valquiria ferreira de Souza, Francineia Silva e Silva, Igor de Souza Pinheiro, de apenas 3 anos, e Gustavo Ferreira de Souza, de 7 anos. Os feridos são Alcineia da Silva e Silva, Ana Fataly Silva da Silva, Ana Clara da Silva Laranjeira, Aurineira da Silva e Silva e Reverson Silva de Souza, de 5 anos.

O Radar entrou em contato pelo telefone com o Procurador Geral de Justiça do Estado, promotor Fabio Monteiro, para saber quais as providências tomadas pelo Ministério Público. O procurador assegurou que o promotor público em Tapauá, Álvaro Granja, está acompanhando o desenrolar das investigações e o encaminhamento que será dado ao caso. (Any Margareth)