Atriz Françoise Forton morre aos 64 anos no Rio de Janeiro

O último trabalho da atriz Françoise Forton na TV Globo foi na obra Tempo de Amar (2017)

atriz morre

Foto: Divulgação

A atriz Françoise Forton morreu neste domingo (16), aos 64 anos. Ela estava internada havia quatro meses na clínica São Vicente, no Rio de Janeiro, para tratar um câncer. Durante a carreira, participou de mais de 40 novelas e estava fora da televisão desde 2020, quando atuou na novela Amor Sem Igual, da Record.

Filha de um francês e uma brasileira, Françoise estreou na TV em 1969, com uma participação em A Última Valsa, da Globo. Em seguida, ela emendou uma série de projetos e obteve um dos maiores sucessos de sua carreira em Estúpido Cúpido (1976).

Na trama das sete de Mário Prata, ela viveu Maria Tereza, uma estudante que sonhava deixar sua pequena cidade e se tornar Miss Brasil. O sucesso da trama foi tão grande que anos depois ela virou uma peça de teatro, novamente com Fraçoise como a protagonista.

A atriz também atuou em obras da Globo como Tieta (1989), Quatro por Quatro (1994), Por Amor (1997), Amor à Vida (2013), I Love Paraisópolis (2015) e Tempo de Amar (2017), seu último projeto na Globo.

Atualmente, ela também pode ser vista na reprise de O Clone (2001), no ar no Vale a Pena Ver de Novo, como a doutora Simone. Em 2015, Françoise participou do quadro Dança dos Famosos, do Domingão do Faustão, e três anos depois concorreu no Super Chef Celebridades, do Mais Você.

Último trabalho na TV

Na Record, ela também teve destaque em folhetins como Luz do Sol (2007), Promessas de Amor (2009), na qual viveu gêmeas, Ribeirão do Tempo (2010) e Amor Sem Igual, seu último trabalho na TV, na qual viveu Olympia, uma ex-prostituta.

Aos 33 anos, Fraçois Forton já havia lutado contra um câncer de colo de útero.

“Depois que eu me operei eu levei uns oito e dez anos em que não conseguia falar nisso. Eu fazia a novela Tieta e um espetáculo que era um sucesso. Resolvi fazer um exame periódico. Quando eu soube me assustou muito e minha mãe estava muito doente. O mundo caiu, tinha que ter mais estrutura. Também não queria viver isso com a imprensa. Depois de alguns anos, conversando com amigos, falei: pelo crontrário, preciso falar disso! Alertar as mulheres. É muito importante fazer os exames periódicos”, relatou ela à jornalista Marília Gabriela em 2014.