Audiência Pública ​​reúne professores da rede estadual na Assembleia Legislativa

Acontece nesta quarta-feira (14), uma audiência pública que visa reunir as reivindicações dos professores de todo o Estado que decretaram estado de greve desde fevereiro, dando prazo para que a Seduc apresenta uma proposta de reajuste salarial até o dia 13. A audiência é de autoria do presidente da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), deputado David Almeida.

De acordo com o coordenador financeiro do Sindicato dos Professores e Pedagogos de Manaus (Asprom), Lambert Melo, a categoria luta pela data-base e reajuste salarial de 35%, porém apesar de ter aberto negociações, a Seduc interrompeu o processo sem justificativas. Os educadores ameaçam entrar em greve por tempo indeterminado a partir de 14 de março.

Durante a semana, a Aleam também vai debater também a atividade de mineração no Rio Madeira e os riscos do exercício dessa atividade de forma ilegal, em Audiência Pública que será realizada na segunda-feira (12). A autoria da Audiência é do deputado Platiny Soares (PSL), que pretende debater os danos causados pela suspensão das licenças ambientais dos associados das Cooperativas Extrativistas Minerais na região, que foram expedidas por tutela antecipada da juíza Mara Eliza Andrade.

A decisão da juíza atende a uma ação civil pública ingressada pelo procurador da República Aldo de Campos Costa, que afirma que as licenças ambientais foram concedidas sem os devidos estudos de impacto ambiental. Para o deputado Platiny, essa decisão prejudica centenas de famílias da região que se sustentam com a atividade de mineração artesanal.