Audiência Pública para tratar sobre a convocação dos aprovados no concurso da Susam

Concursados aprovados no último certame da Secretaria de Estado da Saúde do Amazonas (SUSAM), pelo Edital n° 02, de 07 de fevereiro de 2014, estão aguardando pelo chamamento de todos os classificados no Concurso Público da SUSAM, que tem vigência até abril de 2019, conforme portaria de prorrogação do dia 23 de março de 2017, no Diário Oficial da União. Com proposta de debate, o deputado José Ricardo (PT) propõe, juntamente com os deputados Luiz Castro (Rede) e Alessandra Campelo (MDB), uma Audiência Pública a ser realizada às 10h, desta segunda-feira (26), no plenário da Assembleia Legislativa do Estado (Aleam).

No início deste mês, o Governo do Estado fez a convocação da sexta chamada de classificados, onde divulgou uma lista de 428 aprovados, para nomeação imediata. Mas ainda faltam cerca de três mil a serem convocados. A Comissão dos Concursados de 2014, composta por enfermeiros, psicólogos, assistentes sociais, técnicos de patologia, bioquímicos, farmacêuticos, nutricionistas, administradores e contadores vem reivindicando a convocação de todos os aprovados em diversos órgãos públicos e se mostra bastante preocupada, pois o prazo final para as convocações se encerra em abril de 2019 e em razão da demora e pelos prazos, eles temem perder o concurso. Além disso, muitos profissionais terceirizados atuam nas unidades de saúde, apesar do Estado alegar que não há recurso para cobrir as vagas.

Para o deputado José Ricardo (PT), não dá para justificar dizendo que não há dinheiro. Ele propõe auditoria nos supercontratos para saber o caminho do recurso público e melhorar a situação da saúde pública do Estado. Ele é autor da CPI da Saúde, que está há uma assinatura de ser instalada na Assembleia Legislativa.

“A convocação destes profissionais que foram aprovados no concurso é a obrigação do Governo do Estado, já que supomos que se é aberto um concurso público é porque há necessidade de recurso humano nesta área. Então, convocar os profissionais que investiram tempo estudando e dinheiro, visando aprovação, é o mínimo que o governador pode fazer.” afirmou o parlamentar que esteve acompanhando a comissão de concursados junto à Justiça e aos órgãos de controle, para cobrar as convocações, além de se fazer presente nas várias manifestações públicas que o grupo vem realizando.