Autora de Harry Potter, JK Rowling, polemiza ao defender homem banido do Twitter por transfobia

O usuário da rede social afirmou que preferia ter Aids a apoiar a comunidade trans e recebeu boas vindas da escritora após reativar conta

Foto: reprodução

J.K. Rowling está sendo novamente acusada de transfobia pelas redes sociais. A escritora de Harry Potter polemizou ao dar as boas-vindas a um homem que havia sido suspenso do Twitter após uma fala transfóbica.

Antes de ter sua conta temporariamente desativada da rede social do passarinho azul, o usuário escreveu.

“Eu preferia ter Aids. Não castrou garotos inocentes e eu sabia como combatê-la”, disse.

Esta não é a primeira vez que Rowling é acusada de transfobia. A autora de uma das séries mais famosas do mundo é acusada de transfobia desde 2019, quando defendeu Maya Forstater, uma pesquisadora que perdeu seu emprego após se posicionar contrária a uma lei que defendia que pessoas trans se identificassem com o gênero que preferirem.

A polêmica mais recente foi em dezembro de 2021, quando a escritora publicou uma matéria do jornal The Times que citava que a polícia havia afirmado que começaria a registrar estupros cometidos por criminosos com genitais masculinos como “mulheres”, se estes “se identificassem como feminino”.

“Guerra é paz. Liberdade é escravidão. Ignorância é força. O indivíduo com pênis que estuprou você é uma mulher”, escreveu J.K. Rowling ao compartilhar o post.