Bando é preso acusado de matar médico ortopedista

bando

No dia de ontem (31), a equipe de investigação da Delegacia Especializada em Roubos, Furtos e Defraudações (DERFD), sob a coordenação do Delegado Titular Orlando Amaral, realizou as prisões de cinco pessoas em cumprimento a mandados de prisões preventivas expedidos pelo juíz Luis Alberto Nascimento Albuquerque, da 1ª vara criminal. Eles são apontados como autores de um latrocínio cometido no último dia 11 de julho. O roubo resultou na morte do médico ortopedista Edmilson Vilar de Aguiar, 68.

As primeiras quatro prisões foram realizadas na Zona Oeste da Cidade, sendo a primeira às 13h na residência de Maike Felipe de Souza, 21, no bairro Campos Sales. A segunda prisão foi de Josimar Martins Rios, 20, detido em via pública, na rua Cruzeiro do Sul, bairro Compensa. Logo após os policias civis da DERFD detiveram dois indivíduos no bairro São Jorge. Rafael Barros de Lima, 21, foi preso na residência dele, no beco 1º de Maio, e Adriano Lima Soares, 20, também foi encontrado na casa dele, localizada na rua Dr. Edson Stanislau Afonso.

Às 21h, na Zona Norte, a equipe de policiais civis da DERFD cumpriu o último mandado em desfavor de Rodrigo Rodrigues Campos, 22, detido em via pública, na rua São Jorge, bairro Colônia Santo Antônio.

No momento da prisão, com Maike e Adriano foram apreendidas uma pistola PT 40 de uso restrito da polícia e um revólver calibre 38 com identificação raspada, respectivamente. Segundo as investigações, as armas foram as mesmas utilizadas no crime.

O crime

Na manhã do dia 11 de julho deste ano, Maike, Josimar, Rafael, Adriano e Rodrigo realizaram um roubo uma clínica especializada na realização de testes a candidatos aos exames de direção e veículo, localizada na rua A, conjunto Eldorado, bairro Parque 10, Zona Centro-Sul.

Os cinco chegaram ao local em um veículo modelo S10, de cor branca. Enquanto Rodrigo esperava no veículo, Maike, Josimar, Rafael e Adriano entraram na clínica portando as armas e renderam cerca de quinze clientes. O médico Edmilson, que estava no local e possuía uma arma, tentou utilizá-la, mas ela falhou. Ele foi alvejado com quatro tiros, disparados com as armas de Meike e Adriano. O médico ainda foi levado ao hospital, mas veio a óbito.

Os indivíduos fugiram do local levando vários celulares, jóias e dinheiro das pessoas que estavam na clínica.

No dia seguinte ao crime, Rodrigo foi à DERFD registrar um boletim de ocorrência informando que havia sido sequestrado, junto com o seu veículo, pelo grupo que cometeu o latrocínio. “A equipe de inteligência da delegacia logo percebeu que as informações que Rodrigo estava passando não se sustentavam. Depois de realizadas as investigações, descobrimos que ele não só fazia parte do grupo, mas era o mentor do plano que resultou no assassinato. Eles não chegaram ao local com a intenção de cometer o latrocínio, mas como se viram em ar puros, mataram o médico.”

Em depoimento, o bando informou que já praticaram outros roubos juntos. Depois de adquiridas essas informações, os policiais civis da DERFD já iniciaram outras investigações para confirmar se procedem.

O Secretário de Segurança Pública, Coronel Paulo Roberto Vital elogiou o trabalho da polícia civil no caso. “Essa foi mais uma investigação de sucesso realizada pela DERFD, que resultou na prisão de todos os indivíduos envolvidos em um crime que se mostrou de grande relevância na sociedade.”, ressaltou o Coronel.

Após realizados os procedimentos legais na delegacia, eles serão indicados por latrocínio (artigo 157 do Código Penal Brasileiro) e encaminhados à Cadeia Pública Raimundo Vidal Pessoa, onde ficarão à disposição da Justiça.