Bando é preso após torturar e manter jovem em cárcere privado na Zona Sul da cidade

Após torturarem e manterem uma mulher em cárcere privado, foram presos nesta quarta-feira (05) Daniele Moraes Honorato, 28, Leidiane de Souza Dutra, 22, Senio Henrique Cundi da Silva, 21, Roney Marinho Machado, 18, e a namorada dele, Valeska Araújo Sodré, 19.Policiais Civis da Seccional Sul e do 7º Distrito Integrado de Polícia (DIP), coordenados pelas Delegadas Titulares Márcia Chagas e Eliene Alencar, respectivamente, com apoio dos policiais militares da 7ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom), efetuaram as prisões.

A vítima, que tem 21 anos, estava em via pública na rua Barão, bairro Raiz, Zona Sul da cidade, no momento em que foi abordada pela quadrilha na noite de terça-feira (4), por volta das 23h. O bando levou a jovem para uma casa no beco Aterro, no mesmo bairro, onde a torturaram até 3h, segundo ela.

A Delegada Márcia Chagas revelou detalhes do caso durante coletiva de imprensa realizada na tarde de hoje, na sede do 7º DIP. “Os policiais desta unidade receberam uma denúncia, informando que uma mulher estaria sendo torturada e mantida em cárcere privado. Momentos depois a jovem chegou ao DIP toda machucada. Ela teve o cabelo cortado, as sobrancelhas raspadas,  partes do corpo queimadas com cigarro e também foi machucada com objeto cortante”, declarou.

Ainda segundo a autoridade policial, o crime teria sido motivado porque o ex-companheiro da vítima, identificado como André Lima dos Santos, sumiu com R$ 12 mil que pertencia à quadrilha.

A partir das 11h30 começaram as prisões com Daniele e Leidiane, que foram encontradas pelos policiais na casa onde a vítima foi torturada, que pertence a Daniele. Em outra residência localizada na rua Diagonal, bairro Betânia, naquela mesma área, os policiais prenderam o restante da quadrilha.

Durante a ação foi apreendido com o bando aproximadamente 1 kg de substância entorpecente com características de maconha, 15 trouxinhas com aspecto de oxi, 19 porções com aparência de cocaína em pó que estavam escondidas no sutiã de Valeska, R$ 900 em espécie, 50 bolívares, material para refino e embalo da droga, além de cabelos da vítima que foram encontrados no cativeiro.

“Essa quadrilha pratica assaltos. Possivelmente a suposta quantia que está com o ex-companheiro dela seja oriundo de outros delitos realizados pelo bando. As investigações irão continuar para chegarmos aos outros membros da quadrilha”, enfatizou a Delegada Márcia Chagas.

No 7º DIP os cinco foram autuados em flagrante por tráfico de drogas, apetrechos para o tráfico e associação para o tráfico (Artigos 33, 34 e 35, respectivamente, da Lei nº 11.343/06), tortura (Artigo 1º da Lei nº 9455/97) e cárcere privado (Artigo 148 do Código Penal Brasileiro).

Ao final dos procedimentos realizados na unidade policial o bando será conduzido à Cadeia Pública Desembargador Raimundo Vidal Pessoa, onde irá aguardar decisão da Justiça.