Bangu vence o Vasco de virada no fim e avança à semi da Taça Rio

O Bangu conseguiu neste sábado uma de suas maiores vitórias nos últimos tempos ao derrotar de virada, com um gol nos acréscimos do segundo tempo, o Vasco por 2 a 1, em pleno estádio de São Januário, no Rio de Janeiro. Com o triunfo pela sexta e última rodada da Taça Rio, o time do subúrbio obteve uma vaga nas semifinais do segundo turno do Campeonato Carioca, como líder do Grupo C, e também da competição por conta dos pontos na classificação geral.

Com 15 pontos, o Bangu não pode mais ser alcançado nem mesmo pelo Flamengo, o segundo colocado na tabela de classificação com 11. Cabofriense, com 10, e Botafogo, com oito, são os outros dois times que brigarão neste domingo pela vice-liderança da chave.

No Grupo B, a derrota do Vasco classificou matematicamente o Fluminense, líder com 11 pontos, às semifinais da Taça Rio. O time de São Januário tem oito e neste domingo vai ter que torcer para o Volta Redonda perder em casa do eliminado Boavista para avançar. Como é o campeão da Taça Guanabara – o primeiro turno -, o clube alvinegro já está entre os quatro que lutarão pelo título estadual.

Com a derrota, a primeira do Vasco em casa na temporada, o clima pesou em São Januário. Ainda com bola rolando, os torcedores perderam a paciência com as decisões do técnico Alberto Valentim, principalmente com a entrada de Ribamar no segundo tempo. Com o gol da virada do Bangu já nos acréscimos, os vascaínos iniciaram protestos mais pesados, mesmo com o locutor do estádio pedindo para que objetos não fossem atirados no gramado. Mas copos voaram na direção do treinador, que teve que lidar também com xingamentos.

Em campo, o Bangu não teve medo do Vasco e fez um jogo de igual para igual. Teve suas chances para abrir o placar, mas não soube aproveitá-las. O time da casa foi mais perigoso com boas oportunidades perdidas por Danilo Barcelos e Rossi e conseguiu marcar primeiro com Thiago Reis, aos 42 minutos. Cáceres cruzou, Rossi bateu de primeira e o goleiro Jefferson Paulino defendeu parcialmente, mas a bola sobrou para o meia, que não teve trabalho para colocar a sua equipe em vantagem.

Os dois times voltaram para o segundo tempo sem alterações, com o Vasco mais ofensivo que o Bangu. Só que, aos 11 minutos, o Bangu conseguiu chegar ao empate. Marcos Junior cruzou, a bola bateu no braço de Danilo Barcelos e o árbitro marcou pênalti. Anderson Lessa bateu forte e deixou tudo igual.

Com o empate, o Vasco passou a ter mais posse de bola, mas teve dificuldades para concretizar as jogadas de ataque. Alberto Valentim colocou Thiago Galhardo e o argentino Máxi López, como a torcida pedia, mas mesmo assim encontrava dificuldade para penetrar na defesa do Bangu.

Para tornar o time ainda mais ofensivo, o técnico vascaíno trocou o meia Bruno César pelo atacante Ribamar e aí a torcida reclamou. Para piorar a situação, o Bangu obteve a virada nos acréscimos. Marcos Júnior concluiu, com categoria, um cruzamento de Dieyson e classificou a sua equipe às semifinais da Taça Rio.

FICHA TÉCNICA

VASCO 1 x 2 BANGU

VASCO – Fernando Miguel; Raúl Cáceres, Werley, Leandro Castan e Danilo Barcelos; Lucas Mineiro, Bruno Silva (Thiago Galhardo) e Bruno César (Ribamar); Rossi, Thiago Reis (Maxi López) e Marrony. Técnico: Alberto Valentim.

BANGU – Jefferson Paulino; João Lucas, Rodrigo Lobão, Anderson Penna e Dieyson; Felipe Dias, Marcos Júnior, Felipe Adão (Alex Chander) e Yaya Banhoro (Robinho); Anderson Lessa (Bruno Luiz) e Jairinho. Técnico: Ado Souza.

GOLS – Thiago Reis, aos 42 minutos do primeiro tempo; Anderson Lessa (pênalti), aos 9, e Marcos Júnior, aos 46 minutos do segundo tempo.

CARTÕES AMARELOS – Thiago Galhardo e Rossi (Vasco); Anderson Penna e Marcos Júnior (Bangu).

ÁRBITRO – Maurício Machado Coelho Junior.

RENDA – R$ 224.356,00.

PÚBLICO – 9.067 pagantes (9.493 no total).

LOCAL – Estádio de São Januário, no Rio de Janeiro (RJ).