Black Friday gera desconfiança em mais de 60% dos brasileiros

As promoções da Black Friday, que acontece na próxima sexta-feira (23), ainda geram muita desconfiança entre os brasileiros. De acordo com pesquisa da SPC Brasil, 63,8% tem medo de ser vítima de fraudes com roubo de dados bancários ou clonagem de cartões durante o período de promoção.

Além disso, praticamente todos os entrevistados na pesquisa da SPC (87,2%) afirmaram que fazem buscas para saber a reputação da loja online antes de fazer suas compras. Segundo pesquisa do site Reclame Aqui, 49% dos brasileiros consideram as liquidações do período totalmente confiáveis.

Para o presidente do Reclame Aqui, Mauricio Vargas, a aceitação do consumidor melhorou desde que a Black Friday chegou no Brasil. “O brasileiro está pesquisando mais antes de comprar do que há alguns anos e, ao mesmo tempo, as maiores empresas estão consertando seus erros do passado. Acredito que será uma Black Friday melhor em comparação a outros anos”, diz.

Além das promoções maquiadas (quando a loja aumenta o preço antes do Black Friday para depois reduzi-los), os consumidores também devem ficar atentos a golpes na internet.

Mensagens distribuídas por WhatsApp, que oferecem desconto em passagens aéreas, de acordo com o site Reclame Aqui, tem sido usadas para capturar o email e, em seguida, dados bancários de consumidores.

A empresa de cibersegurança Kaspersky Lab descobriu um golpe que estava sendo disseminado pelo Facebook e também envolvia o período de promoções.

Os posts de uma suposta empresa oferecia um cartão de crédito Black com baixa anuidade. Além do roubo de dados, os golpistas levavam R$ 34,90, valor que as vítimas pagavam via boleto para terem acesso ao cartão.

GOLPES E FRAUDES

– Não clique em links desconhecidos, mesmo os recebidos por amigos e familiares. Eles podem baixar malware em seu dispositivo ou direcioná-lo para páginas que coletam dados pessoais;

– Verifique quem é o dono do site. Encontrou um site desconhecido com ofertas tentadoras? Antes de comprar, consulte a lista do PROCON e também o Registro.br, na sessão “Whois”, que informa quem registrou o site. Golpistas geralmente usam endereços de e-mail gratuitos para registrar o domínio (Hotmail, Gmail, etc);

– Desconfie de mensagens SMS e anúncios no Facebook. Essa é a mais nova modalidade dos golpistas. Para confirmar se a oferta exibida na rede social é real, entre no site oficial do varejista e busque o produto anunciado;

– Não faça transações comerciais ou bancárias online enquanto estiver conectado a uma rede Wi-Fi pública;

– Instale em seu dispositivo uma solução de segurança que tenha tecnologias integradas para evitar fraudes financeiras.

NÃO ESQUEÇA SEUS DIREITOS

– O produto pode ser trocado se vier com defeito;

– O prazo para desistir da compra feita online é de sete dias;

– A troca do produto não é obrigatória, a não ser que a loja se comprometa. Fique de olho nas políticas de trocas dos e-commmerces;

– Se houve atraso na entrega do produto, o cliente deve exigir seu direito, o ressarcimento do dinheiro pago ou a substituição do produto;

– Código de defesa do consumidor não é válido do caso de compras feitas diretamente de pessoas físicas.

Fonte: Folhapress.