Bolsonaristas em pé de guerra: vice de Coronel Menezes diz que capitão Alberto Neto acusou homem inocente de roubo (ver vídeo)

Foto: Reprodução Facebook

As redes sociais “pegaram fogo” nessa quarta-feira (07) com a notícia de que o candidato a prefeito de Manaus, capitão PM Alberto Neto, teria impedido assalto a ônibus e preso o assaltante. Estranhamente, a notícia chegou ao Radar e, acredita-se que a outros veículos de comunicação também, através da própria assessoria de comunicação do candidato, ainda com fotos do momento da ação policial do capitão Alberto Neto, como se fosse uma peça de marketing eleitoral.

O candidato virou meme e, usando a linguagem on-line, foi “cancelado” nas redes sociais, por ter visivelmente usado o fato pra fazer propaganda eleitoral. E o que estava ruim ficou pior quando colegas de farda do capitão PM Alberto Neto decidiram desmenti-lo nas redes sociais, dizendo que tinha ocorrido uma alteração dentro do ônibus por causa de um suposto roubo de celulares, mas que a situação já estava sobre controle de policiais da 11ª Cicom.

“Já estavam (os policiais) resolvendo a situação, quando ele (capitão Alberto Neto) chegou tomando a frente e fazendo essa papagaiada toda”, diz um dos PMs em grupo de Whatsapp da polícia (ouvir áudio)

E até os bolsonaristas que também estão no pleito eleitoral decidiram deixar o vice-líder do presidente Bolsonaro na Câmara Federal (capitão Alberto Neto) em maus lençóis. Em vídeo postado em suas redes sociais, o candidato a vice-prefeito na chapa daquele que é tratado como amigo pessoal do presidente, o coronel Alfredo Menezes, o delegado Costa e Silva, acusa o capitão Alberto Neto de ter exposto à execração pública por roubo um homem inocente.