Bolsonaro corta 95% do orçamento da Suframa para programas de desenvolvimento regional

Começou a tramitar na Câmara dos Deputados mais um ataque do Governo Jair Bolsonaro (PSL) ao Polo Industrial de Manaus (PIM) com o corte de R$ 8,1 milhões destinados ao programa de “Promoção ao Desenvolvimento Econômico Regional da Amazônia Ocidental e Municípios de Macapá e Santana (AP)”. O corte na receita da Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa) está no Projeto de Lei Orçamentária para 2020 do Governo Federal.

Na ponta do lápis o orçamento para 2020 de Promoção e Desenvolvimento da Suframa será apenas de R$ 433.753,00 mil reais. O valor é R$ 8.120.496,00 milhões menor em relação ao orçamento previsto para este ano.

Outra receita reduzida em R$ 715,9 mil é a verba destinada para “Apoio ao Desenvolvimento de Programas e Projetos nas Áreas Científica, Tecnológica e de Inovação na Área de Atuação da Suframa”. Neste ano o orçamento para Pesquisa e Tecnologia está em R$ 3.579.975,00 milhões. A estimativa para o próximo ano é de R$ 2.863.980,00 milhões.

No total, somando os dois cortes, a Suframa irá perder no orçamento de 2020 nada menos que R$ 8.836.491 milhões de reais.

Preocupação

A redução no orçamento da Suframa foi motivo de reclamação na Assembleia Legislativa do Amazonas (ALEAM) e também na Câmara dos Deputados, em Brasília.

Aqui em Manaus os deputados Wilker Barreto (Podemos) e Josué Neto (PSD) assinaram uma Moção de Repúdio ao Ministro da Economia, Paulo Guedes, contra mais um ataque do Governo Federal contra a ZFM. O documento foi subscrito por todos os deputados. “Vejo com preocupação essa redução. É nítido que o ministro Paulo Guedes quer definhar a Zona Franca de Manaus. A Suframa precisa de recurso para tocar sua máquina administrativa e quando a gente vê esse tipo de situação, não tenho dúvidas, que inibem os investimentos futuros na Zona Franca”, avalia Wilker, que preside a Comissão de Industria, Comércio e Zona Franca da Aleam.

Josué Neto propôs uma ação dos parlamentares estaduais e a bancada do Amazonas no Congresso para uma reunião com Jair Bolsonaro numa nova tentativa de retirar a Zona Franca de Manaus da mira do Governo Federal. “Bolsonaro e Paulo Guedes precisam se comprometer de maneira efetiva com a manutenção e modernização da Zona Franca, especialmente nas questões ligadas à Reforma Tributária, que é discutida no Congresso Federal e pode nos afetar”, afirmou o presidente da Aleam, Josué Neto.

Em Brasília o deputado que reclamou do corte foi Marcelo Ramos (PL). “O mais grave é com os recursos de pesquisa e desenvolvimento que ultrapassam os limites de Manaus e chegam aos demais estados abrangidos pela Suframa. São R$ 8 milhões este ano que nada foi feito e para o próximo ano querem reduzir para 733 mil. Esse é o Governo que diz que quer investir em alternativas econômicas? Como isso é possível tungando, capando e desnutrindo o orçamento da Suframa”, questionou Ramos.

Sem Tempo

Procurado pela equipe do Radar para se manifestar sobre mais esse ataque à Zona Franca de Manaus o superintendente da Suframa, Coronel Menezes, não conseguiu atender a reportagem. Segundo a assessoria de comunicação ele chegou nesta terça-feira (10) de uma viagem a Israel e ainda irá se informar sobre a situação.