Bolsonaro critica Ucrânia: ‘Povo confiou destino da nação a um comediante’

O presidente concedeu uma entrevista coletiva no último domingo (27/2), no Guarujá (SP), onde passa o carnaval

Foto: divulgação

O presidente Jair Bolsonaro falou a jornalistas, durante entrevista coletiva na noite do último domingo (27), que o Brasil vai adotar um tom neutro em relação à guerra entre Rússia e Ucrânia por considerar que cada país tem sua motivação no conflito.

No entanto, ao ser questionado se a opção por manter a neutralidade diante do conflito, mesmo dia da iminência de massacre a civis, tem ligação com o bom relacionamento que o presidente diz ter com Vladmir Putin, Bolsonaro minimizou a ofensiva militar russa criticando os ucranianos.
“Eu acho que o povo confiou nele para traçar o destino de uma nação. Confiou a um comediante o destino de uma nação. Ele deve ter equilíbrio, segundo a população ucraniana, para tratar desse assunto. Tanto é que ele já aceitou conversar”, disse.
O presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky,  informou, hoje, que concordou em conversar com a Rússia e que as discussões ocorrerão na fronteira com Belarus, perto da zona de exclusão de Chernobil.