Bolsonaro distribui “patadas” à imprensa em sua passagem por Manaus  

Está cada vez mais difícil a relação do presidente Jair Messias Bolsonaro com a imprensa e não é só pelo que se tem visto em nível nacional. Em coletiva, nesta quarta-feira (27), durante a abertura da Feira de Sustentabilidade do Polo Industrial de Manaus (FesPIM), que é promovida pela Suframa e deve durar três dias, no Studio 5, localizado na zona Sul da capital, o presidente distribuiu “patadas” aos jornalistas. 

Em seu discurso na abertura do evento, Bolsonaro citou um roubo de mais de 700 quilos ouro ocorrido em São Paulo, onde disse também haver diamantes “possivelmente” levados de terras indígenas. Questionado por um repórter se ele teria alguma prova sobre essa declaração, o presidente disparou. “Se você falou possivelmente, é porque eu não tenho”. 

Mas o repórter rebateu Bolsonaro, perguntando com que base ele fazia tal declaração. “O quê que é indícios de um crime?”, questionou o presidente ao jornalista, que negou saber o significado que cabia nesse caso. “Ah você não sabe? Então volta pra faculdade”, disse Messias Bolsonaro grosseiramente e logo depois determinado que fosse feita “outra pergunta”. 

Em um outro momento, o presidente foi questionado sobre a matéria do jornal Folha de S.Paulo, publicada na terça (26), a respeito de produção de 11 milhões de “santinhos” na campanha eleitoral de 2018, que não foram declaradas na prestação de contas do PSL, partido pelo qual ele foi eleito. Referente a isso, Bolsonaro respondeu de forma irônica e chegou a dar uma gargalhada debochando da matéria do jornal.

“O meu partido recebeu R$ 10 milhões para fazer campanha e eu decidir não usar dinheiro do Fundo Partidário. Fizemos uma vaquinha na internet, recebendo R$ 4 milhões, gastamos a metade. Agora em uma campanha presidencial, se está preocupado com quantos mil santinhos eu faço? Deixa eu dar uma risada aqui (…) que piada Folha de S. Paulo”, retrucou o presidente.

Ainda na coletiva, Bolsonaro foi questionado sobre qual contribuição sua presença na realização da 1ª FesPIM traria ao Amazonas. Novamente respondeu de forma “atravessada” a imprensa local. 

“Primeiro que se eu não pudesse contribuir com nada, vocês não estariam aqui. Outra coisa, estou prestigiando o evento, pois queiram ou não eu sou o presidente da República e estou aqui atraindo holofotes do mundo todo”, declarou, como se estivesse fazendo um favor para o Amazonas e demonstrando um egocentrismo (quando o indivíduo pensa que o mundo gira em torno dele) desmedido.