Bolsonaro: “Por mim, Brasil não teria Carnaval em 2022”

Em entrevista, presidente afirmou que a economia vai quebrar de vez se houver lockdown por causa da nova onda de Covid-19

Bolsonaro se referiu à decisão do STF que deu autonomia a estados e municípios para decidirem sobre as ações de enfretamento à pandemia.

Durante a entrevista, o presidente relembrou ainda o que aconteceu no ano passado quando ele declarou emergência no auge da pandemia, mas os governadores e prefeitos ignoraram e realizaram o Carnaval.

“As consequências vieram. Chegamos a 600 mil óbitos. E alguns tentaram imputar a mim essa responsabilidade. Não tenho culpa disso. Não estou esquivando, nem apontando outras pessoas. É uma realidade, é uma verdade. Todo o trabalho de combate à pandemia coube aos prefeitos e aos governadores. O que coube a mim? Mandar recursos”, reclamou.

Em relação à nova onda de Covid-19 na Europa e às restrições que já começaram a ser impostas por alguns países, Bolsonaro manifestou preocupação com a economia.

“Estou vendo que alguns países da Europa estão retomando medidas de lockdown. Se tiver outro lockdown no Brasil, em estados e municípios, vai quebrar de vez a economia”, disse.

Carnaval cancelado

Ao menos 45 cidades paulistas já anunciaram o cancelamento da realização do Carnaval de 2022 em razão da pandemia de Covid-19.

Entre os municípios apurados pela reportagem do R7, em sua maioria do interior, grande parte justificou a decisão dizendo que pretende evitar aglomerações e a maior transmissibilidade do novo coronavírus, com o receio de uma nova onda da doença.

Em Brasília, O GDF (Governo do Distrito Federal) e a Câmara Legislativa do DF (CLDF) discutem alternativas para realizar o Carnaval de rua na capital em 2022 e dar suporte às escolas de samba e aos blocos tradicionais de Brasília.