Bolsonaro tem 59% dos votos válidos e Haddad, 41%, aponta Ibope

No primeiro levantamento do Ibope sobre o segundo turno das eleições presidenciais, Jair Bolsonaro (PSL) aparece à frente de Fernando Haddad (PT). O deputado conta com 59% dos votos válidos, enquanto o petista tem o apoio de 41% dos consultados na pesquisa divulgada nessa segunda-feira (15).

A contagem, que exclui os brancos, nulos e indecisos como a Justiça Eleitoral faz no dia da eleição, confirma a onda conservadora que quase deu a vitória em primeiro turno ao presidenciável do PSL. No primeiro turno, Bolsonaro teve 46% dos votos válidos e Haddad, 29%.

Levando em conta o eleitorado total, Bolsonaro aparece à frente por 52% a 37%. Há ainda 9% que hoje pretendem anular ou votar em branco, e 2% que não souberam responder.

A pesquisa do Ibope também mostrou rejeição maior a Haddad do que ao militar. Em relação a Haddad, 47% dos entrevistados responderam que não o escolheriam em nenhuma hipótese, e 28% disseram que votariam nele com certeza.

Sobre Bolsonaro, 35% afirmaram que não o escolheriam sob hipótese alguma, enquanto 41% disseram que certamente votariam nele.

A sondagem do Ibope, de âmbito nacional, ouviu 2.506 eleitores entre os dias 13 e 14 de outubro. A margem de erro da pesquisa, contratada pela TV Globo e pelo jornal O Estado de São Paulo, é de dois pontos percentuais para mais ou para menos, e o levantamento tem o registro BR-01112/2018 no Tribunal Superior Eleitoral (TSE). O nível de confiança é de 95%.

O mercado financeiro adotou postura otimista nessa segunda (15) de espera por nova pesquisa eleitoral. A Bolsa brasileira avançou, enquanto o dólar caiu mais de 1%, também apoiados pelo mercado externo.

“Abrimos a semana com expectativas otimistas para os ativos nacionais, tendo como pano de fundo…a continuidade da leitura de que Fernando Haddad (PT) dificilmente conseguirá ‘virar o jogo’ contra Jair Bolsonaro (PSL) na corrida presidencial”, escreveu a H.Commcor em relatório.

A Bolsa brasileira fechou o dia em alta de 0,52%, a 83.359 pontos. O giro financeiro foi de R$ 20 bilhões, em pregão marcado pelo vencimento de contratos de opção.

Fonte: Folhapress.