Bolsonaro vai comandar primeira reunião do CAS da Suframa, anuncia Braga

A primeira reunião do Conselho de Administração da Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa), marcada para o dia 12 de julho, será comandada pelo presidente Jair Bolsonaro (PSL), na capital amazonense. O anúncio foi feito nesta segunda-feira (24), pelo senador Eduardo Braga (MDB).

Braga confirmou a vinda do presidente ao Amazonas após participar de uma audiência com Bolsonaro e o superintendente da autarquia, Alfredo Menezes, realizada no Palácio do Planalto.

“Devem ser destravados vários projetos de indústrias que poderão investir na geração de emprego e renda no Estado”, disse o senador.

IPI

Durante o encontro, Eduardo insistiu na manutenção em 12% da alíquota do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) para os fabricantes de concentrados de bebidas não alcoólicas presentes no Polo Industrial de Manaus (PIM).

De acordo com o Senador, a reivindicação atende a um apelo do setor e tenta reverter o decreto presidencial editado em setembro de 2018 – assinado pelo então presidente Michel Temer – , que estabelece as seguintes alíquotas para o segmento ao longo de 2019: de 1º de janeiro a 30 de junho, em 12%, e, de 1º de julho a 31 de dezembro, em 8%.

“Esse segmento mobiliza uma extensa cadeia produtiva no Amazonas. Estamos falando de muito mais do que 31 empresas e quatro mil empregos diretos gerados. Tudo isso pode acabar com essas mudanças de alíquota do IPI”, já alertou o senador.

Mais impostos

Eduardo Braga também detalhou ao presidente os impactos devastadores sobre a economia do Amazonas caso o governo leve adiante a ideia de reduzir de 16% para 4% o imposto de importação para produtos como celulares e computadores.

BR-319

A Bolsonaro, o senador pediu, ainda, agilidade na liberação para as obras de recuperação da BR-319, que liga as capitais Manaus (AM) e Porto Velho (RO). O presidente garantiu que o governo federal prepara a edição de uma medida provisória capaz de acelerar a pavimentação da rodovia em 2020 e de uma série de empreendimentos paralisados no país em virtude da falta de licenças.

Com informações da assessoria do senador