Braga encontra Caapiranga envolta em nuvem de poeira

braga-caapiranga

caapiranga-poeiraA falta de cuidados com a cidade, muitos buracos, ruas de barro, tudo isso aliado aos dias de sol forte  do verão Amazônico que provoca queimadas por causa da secura da vegetação, deixaram a cidade de Caapiranga envolta em uma nuvem de poeira  . Foi nessas condições que o senador Eduardo Braga, candidato ao Governo do Estado pela coligação “Renovação e Experiência”, encontrou a cidade em sua visita na noite desta quinta-feira (04/09).

Famílias andando pela cidade de máscaras também podiam ser vistas frequentemente. Braga criticou as ações realizadas às vésperas das eleições para minimizar problemas que ficaram anos sem solução. “Quando chega em época de campanha as coisas ficam muito esquisitas”, disse. “Quem não trabalha, faz de conta que trabalha. Quem não gosta de estar com o povo faz de conta que está com o povo. Mas o povo não é besta. Vocês acham certo deixar Caapiranga abandonada e, na véspera das eleições, vir aqui, passar uma tintazinha de asfalto e ir embora?”, questionou.

O senador aproveitou para lembrar suas realizações na cidade quando foi governador. “Asfaltei Caapiranga e não foi nas vésperas de eleição. Concluiu e inaugurei o hospital de Caapiranga. Construí caixa d’água. Reformei, ampliei e climatizei as escolas. Não abandonei o produtor rural”, enumerou Eduardo Braga. “Quero a oportunidade de poder fazer de novo e fazer bem feito”, disse.

Acompanhando o senador na visita, Francisco Praciano, candidato ao Senado, também criticou o governo atual e seu antecessor. “Abandonaram o interior. Só fizeram placas e pedras fundamentais. E eu fiquei sabendo que contrataram uma empresa do Sul por R$ 133 milhões para fiscalizar obras. Essa empresa foi contratada para fiscalizar placas”, denunciou.

CAMPINAS DO NORTE

Mais cedo, na tarde desta sexta-feira (04), Eduardo Braga esteve na vila de Campinas do Norte, comunidade pertencente ao município de Manacapuru, para ouvir as necessidades dos amazonenses que costumam ser totalmente esquecidos pelos governantes.

O centro comunitário do vilarejo ficou pequeno para receber as pessoas que queriam ver o senador e falar sobre suas necessidades ao candidato a quem seu voto já está declarado.

Os problemas com o fornecimento de energia elétrica e água encanada foram algumas das precariedades relatadas pelos moradores do vilarejo. A necessidade de asfaltamento na vila também foi lembrada. “Prometeram calçamento para cá e não cumpriram. Vamos resgatar essa dívida. O problema da água também vamos resolver”, declarou.

Sobre a questão da energia elétrica, Braga foi incisivo: “Não sou governador, nem sou prefeito. Mas tenho voz e tenho força. Vou ligar, na segunda-feira, para o ministro das Minas e Energia e comprar essa briga por vocês”, afirmou. “Vocês não terão um governador desaparecido. Vocês vão ver o trabalho aparecer e a transformação acontecer”, prometeu.