Anúncio

Braga inclui em seu programa de Governo, propostas apresentadas por lideranças rurais e cooperativistas

projeto braga

Após assumir compromisso durante o Encontro com Lideranças Rurais e Cooperativistas, de adotar em seu projeto para governar o Estado as propostas apresentadas pela Federação da Agricultura e Pecuária do Amazonas (FAEA) e pela Organização das Cooperativas do Brasil (OCB-Amazonas) e no documento “O que esperamos do próximo governador”, o senador Eduardo Braga se reuniu nesta quinta-feira (14) com sua equipe de elaboração do programa de governo para discutir a efetiva inclusão das propostas da federação.

Na ocasião do encontro com as lideranças do setor primário, Braga, candidato ao governo do Amazonas, fez o anúncio publicamente. “Nós estamos assumindo o compromisso com a federação de que todas as propostas da FAEA e da OCB farão parte do nosso programa de governo”, afirmou. E como seu programa de governo permanece em construção ao longo da campanha – com participação popular garantida por meio do site www.eduardobraga15.com.br – o senador decidiu já incluir as propostas.

Vale ressaltar que muitas das demandas apresentadas pela FAEA e OCB aos candidatos já constavam do programa de governo de Eduardo Braga no capítulo intitulado “Produção rural”, como a maior celeridade aos processos de regularização fundiária e desburocratização do Licenciamento ambiental em áreas rurais.

Reivindicações como o aumento da participação do setor primário no orçamento do Governo do Estado e a continuidade e ampliação do programa de regionalização da merenda escolar também serão contemplados no próximo governo de Eduardo Braga, caso seja eleito.

As políticas públicas para o setor agrícola fazem parte do projeto que Eduardo Braga tem para a criação de polos de desenvolvimento econômico e social no interior, daí a importância dispensada ao primeiro setor na construção do programa de governo do candidato.

As reuniões com assessores durante esta quinta-feira deram lugar aos compromissos previamente agendados, já que a agenda oficial permaneceu cancelada em respeito à trágica perda de Eduardo Campos, descrito por Eduardo Braga como “um dos mais obstinados e determinados políticos da nova geração”.