Brasil contabiliza média diária de 689 óbitos por coronavírus

Foto: Reprodução

A média móvel diária de mortes causadas pelo novo coronavírus no Brasil ficou em 689 nesta quarta-feira, 30. O valor considera as oscilações dos últimos sete dias e elimina distorções entre um número alto de meio de semana e baixo de fim de semana.

Desde às 20h do dia anterior, o País contabilizou 876 novos óbitos, elevando o total para 143.886 brasileiros mortos pela doença desde o início da pandemia. Já o número de casos subiu para 4.813.586, após a contabilização de mais 33.269 infectados. Os dados são do levantamento do consórcio dos veículos de imprensa, formado por Estadão, G1, O Globo, Extra, Folha e UOL, e feito em conjunto com as secretarias estaduais de Saúde. O balanço do Ministério da Saúde, por sua vez, aponta que há 4.180.376 recuperados da doença e outros 486.607 que seguem em acompanhamento.

São Paulo, Estado com os maiores valores absolutos de coronavírus no País, registrou nas últimas 24 horas mais 6.109 novos casos e 231 mortes. No total, o Estado registra 985.628 infectados e 35.622 óbitos. Conforme boletim da Secretaria Estadual de Saúde, são 855.068 pessoas recuperadas.

Em coletiva de imprensa nesta quarta, o governador João Doria (PSDB) anunciou que se a coronavac passar na fase de testes em voluntários e for aprovada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), a vacinação poderá ocorrer já a partir de 15 dezembro e começará em profissionais de saúde de unidades públicas e privadas de saúde de São Paulo.

“Os testes seguem até 15 de outubro. Mas estamos confiantes no resultado dessa vacina. Estamos avançando positivamente com esperança de que essa será uma das mais promissoras vacinas contra a covid-19. Vamos respeitar os procedimentos de testagem, e após aprovação da Anvisa, o início da vacinação está previsto para começar no dia 15 de dezembro, começando pelos profissionais da saúde”, afirmou Doria.

Conforme contagem da Universidade Johns Hopkins, o Brasil continua como o terceiro país mais afetado pela pandemia em número de contaminados. Está atrás de Estados Unidos e Índia, que ocupam a primeira e segunda posição, respectivamente. No entanto, em relação ao total de óbitos, o País se mantém em segundo lugar.

Parceria

O balanço de óbitos e casos é resultado da parceria entre os seis meios de comunicação que passaram a trabalhar, desde o dia 8 de junho, de forma colaborativa para reunir as informações necessárias nos 26 estados e no Distrito Federal. De forma inédita, a iniciativa foi uma resposta à decisão do governo Bolsonaro de restringir o acesso a dados sobre a pandemia e se manteve mesmo após a manutenção dos registros governamentais.

De acordo com o Ministério da Saúde, 33.413 novos casos de infecção pela covid-19 e 1.031 novos óbitos foram registrados nas últimas 24 horas. Ao todo, 4.810.935 pessoas se infectaram e 143.952 faleceram por conta da doença. Os números diferem dos compilados pelo consórcio de veículos de imprensa principalmente por causa do horário de coleta dos dados.