Brasil ganha 2 milhões de novos eleitores de 16 a 18 anos

Foto: Divulgação

O Tribunal Superior Eleitoral divulgou o resultado da campanha intensa das últimas semanas para convencer os jovens da importância de votar nas eleições de outubro.

Isabel Silva Gonçalves, de 17 anos, decidiu, por conta própria, fazer uma campanha na escola dela, no Gama, perto de Brasília, para os colegas tirarem o título de eleitor. O resultado surpreendeu: mais de 100 alunos, na mesma faixa etária, que agora podem votar.

“A gente tem as gerações futuras chegando agora, se politizando. Então, a realidade do país no futuro está nas mãos dessa galera que vai votar este ano”, afirma a estudante.

Nesta quinta-feira (5), durante a sessão do Tribunal Superior Eleitoral, o ministro Edson Fachin agradeceu às campanhas para atrair os jovens nas eleições deste ano.

“Vimos como há muito não se via: um país unido pelo bem, pela concórdia, um país unido pelo fortalecimento da democracia. Por isso, agradeço a cada um e cada uma, famoso ou não, influenciador ou não, jovens de todas as idades que participaram e criaram conteúdos nas redes sociais para chamar a atenção de todos para a regularização do título, para o cadastramento eleitoral dos jovens e para a regularização dos títulos de todas as pessoas. Agradeço também àqueles que foram além do virtual e disponibilizaram conhecimento, tempo, computadores e acesso à internet para viabilizar o atendimento remoto de tantos que precisam de ajuda. Por fim, agradeço o trabalho incansável dos profissionais da imprensa, fundamentais nessa divulgação. Lembrando que nesta semana foi celebrado o Dia Mundial da Liberdade de Imprensa, e destaco a importância da imprensa livre, da imprensa respeitada, dos profissionais de imprensa respeitados, não violados em suas prerrogativas, não agredidos, da imprensa livre, e do acesso à informação e do poder de exercer o seu papel”, enfatizou o presidente do TSE.

Dados do TSE apontam que, de janeiro a abril deste ano, o país ganhou 2 milhões de eleitores entre 16 e 18 anos. Número muito maior do que nas duas últimas eleições gerais: aumento de 47% na comparação com 2018 e de 57% em relação a 2014.
Os pedidos feitos no limite do prazo serão analisados normalmente pela Justiça Eleitoral, que também vai fazer uma revisão nos títulos já emitidos para saber, por exemplo, se há duplicidades ou dados errados. Essa análise deve durar cerca de dois meses.

Segundo o calendário eleitoral, o número total de eleitores aptos a participarem das eleições deste ano será divulgado pelo TSE em julho.
Fachin reafirmou a segurança do sistema eleitoral e reforçou o apelo para que os eleitores compareçam à votação.

“Não deixem de fazer valer a sua vontade pelo voto. A população de todas as idades respondeu ao chamado da cidadania, respondeu ao chamado cívico da Justiça Eleitoral, que não medirá esforços para realizar eleições limpas, transparentes, com paz e segurança, e diplomar os eleitos”, ressaltou Fachin.
Entre os jovens eleitores, o sentimento é de ansiedade para exercer o direito ao voto. Uma turma tem o título nas mãos e muitas ideias na cabeça.

“Está todo mundo engajado, porque todo mundo está querendo fazer seu nome, fazer sua parte nos votos, falar assim: ‘Eu fui, eu votei, eu quero mudar o meu país’”, diz Rafaela Gomes dos Santos, de 16 anos.